EnglishPortugueseSpanish

O lançamento da linha Galaxy S21 só vai acontecer em 14 de janeiro, mas já sabemos praticamente tudo sobre os novos celulares topo de linha da Samsung. Ainda assim, há espaço para algumas surpresas.

Segundo Roland Quandt, jornalista alemão do site WinFuture.de, os novos modelos terão mudanças em uma das características mais amadas pelos fãs: o slot para cartões microSD.

publicidade

Quandt afirma que o Galaxy S21 e S21 Plus não terão o slot para cartões microSD, eliminando um dos recursos que ajudam a posicionar os aparelhos como os “anti-iPhone” desde o lançamento da linha, há mais de 10 anos.

Quem fizer questão da possibilidade de expandir a memória interna terá de investir em um Galaxy S21 Ultra, que ainda terá o slot para cartões. Não que eles sejam necessários, já que na configuração mais sofisticada este modelo terá 512 GB de armazenamento interno e 16 GB de RAM.

Segundo Quandt, a informação vem de duas fontes diferentes, e ele tem “90%” de confiança. Mas frisa que ela é referente aos modelos vendidos na Europa, e os aparelhos em outras regiões do mundo podem ser diferentes neste ponto.

E o carregador do Galaxy S21?

Desde que a Apple anunciou que os iPhone 12 não incluiriam um carregador na embalagem, especula-se que a Samsung irá fazer o mesmo com os próximos Galaxy S.

E um documento de homologação na Anatel parece confirmar a suspeita, já que menciona que o SM-G991B/DS, que seria o Galaxy S21, não inclui nem carregador, nem fones de ouvido na embalagem.

Quandt afirma que a decisão não será tão “preto no branco”. Em alguns mercados (ele não menciona quais) os Galaxy S21 virão com carregador na embalagem. Em outros, não.

Ao anunciar que os novos iPhone viriam sem um carregador, a Apple argumentou os benefícios ao meio ambiente, com redução na quantidade de material na embalagem. Isso permite transportar mais aparelhos no mesmo espaço, o que reduz as emissões de carbono por aparelho.

Traseira do iPhone 12, da Apple
iPhone 12: sem carregador na embalagem, em nome do meio ambiente. Imagem: Apple

A decisão também reduziria o uso de plástico e incentivaria os consumidores a continuar utilizando os carregadores que já tem, evitando a geração de lixo eletrônico que pode acabar poluindo aterros sanitários em países em desenvolvimento.

Mas a notícia causou comoção não só nas redes sociais, mas também em instituições públicas. Exemplo disso, no Brasil, foi o Procon de São Paulo e Santa Catarina terem notificado a empresa da maçã sobre o assunto.

Também foi divulgado no mês passado que a Secretaria Nacional do Consumidor notificaria Apple, Samsung, Motorola, Xiaomi, LG e Asus pelo mesmo motivo. O documento teria o objetivo de questionar se a venda de celulares sem os acessórios viola os direitos do consumidor.

Também nesta linha, há quem acuse venda casada por parte da Apple. Entretanto, especialistas consultados pelo Olhar Digital concordam que a marca não está praticando um ato ilícito ao não incluir o carregador na caixa dos iPhones, abrindo as portas para que outras empresas façam o mesmo.

Fonte: Phandroid