EnglishPortugueseSpanish

A Nintendo está sendo processada mais uma vez pelo já conhecido problema de “drift” nos controles Joy-Con, do Nintendo Switch. Agora, quem move a ação é a empresa canadense Lambert Avocat, que iniciou buscas por consumidores lesados a fim de formar uma “ação de classe”, processo que objetiva unir as pessoas afetadas em um só grupo.

O “drift”, como é conhecido o defeito, dificulta o movimento das alavancas analógicas do Joy-Con, o controle do aparelho. Após um tempo de uso, os controles do aparelho híbrido começam a mover personagens e cursores pela tela, ainda que o jogador não esteja fisicamente tocando no analógico.

publicidade
Os Joy-Cons, controles do Nintendo Switch, vêm apresentando defeito constante de “drift”, impactando negativamente a experiência dos jogadores. Imagem: Wachiwit/Shutterstock

Segundo a firma baseada em Quebec, o problema da Nintendo com o “drift” do Joy-Con “constitui um defeito sério, importante e escondido”. Vale citar que o processo canadense é somado às mesmas ações sofridas pela Nintendo nos Estados Unidos e Europa.

“Por isso, a Nintendo falhou na menção de um importante fato em uma representação feita ao seu consumidor: a qualidade de seus produtos, o que é um elemento essencial que pode muito bem afetar a tomada de decisão do consumidor na compra de um produto”, escreveu a Lambert Avocat em seu site oficial.

A situação coloca novamente o Switch sob o escrutínio da opinião pública. Em junho de 2020, o presidente da Nintendo, Shuntaro Furukawa, emitiu um pedido público de desculpas pelo problema que aflige o console híbrido desde o seu lançamento. Em outubro do mesmo ano, a Nintendo reduziu os preços de compra de novos Joy-Cons e emitiu uma ordem de assistência técnica gratuita para consoles que apresentem o “drift”, independente do console estar ou não sob garantia.

Exemplo do efeito do “drift”, proveniente de um Joy-Con defeituoso. Nintendo tem práticas de assistência técnica gratuita para isso. Imagem: ResetEra/Reprodução

Aqui no Brasil, a empresa também oferece assistência técnica sem custo para controles que apresentarem o mesmo problema. Para solicitar o reparo, o cliente deve:

publicidade
  • Enviar um e-mail para suporte.nintendo@deal4b.com.br: a Deal4B é a empresa autorizada pela Nintendo para reparos e trocas de hardwares defeituosos;
  • Explicar no corpo do e-mail que o defeito “drift” foi detectado nos controles, solicitando o reparo.

A Deal4B retornará o contato, solicitando nome completo, CPF/CNPJ, endereço de correspondência com CEP, e-mail e telefone de contato. Além disso, ela pedirá pelo modelo e número serial do Nintendo Switch defeituoso, uma breve descrição do problema, cópia da nota fiscal de compra (uma foto dela é suficiente) e, se possível, um vídeo do defeito compartilhado via serviço de armazenamento em nuvem (Google Drive, Dropbox e afins).

Vale lembrar que esse reparo só é gratuito mediante a apresentação do defeito em um produto oficial da Nintendo (em caixa do Switch). Joy-Con fabricados por empresas terceirizadas – mesmo que estas sejam reconhecidas pela Nintendo – não são contemplados.

Fonte: IGN