EnglishPortugueseSpanish

Anunciado há 13 anos com o intuito de quebrar o recorde de velocidade para veículos terrestres, o carro-foguete da Bloodhound Land Speed ​​Record levará ainda mais tempo para concluir sua missão. Na última segunda-feira (25), o projeto Bloodhound LSR foi colocado à venda e precisará de novos investimentos para quebrar a marca em 2022. O preço? Cerca de US$ 11 milhões (aproximadamente R$ 59,2 milhões, em conversão direta).

A saída do atual proprietário e CEO da Bloodhound LSR, Ian Warhurst, é anunciada como uma notícia triste, mas compreensível. Warhurst assumiu o cargo em 2018, quando o projeto estava à beira da falência. E mesmo com todo o dinheiro gasto pelo agora ex-CEO, o Bloodhound ainda não quebrou o recorde de 1.227 km/h e praticamente desistiu da meta de chegar nos 2.574 km/h.

publicidade

“Junto de muitas outras coisas, a pandemia global destruiu essa oportunidade [quebra do recorde] em 2020, o que deixou o projeto sem financiamento e atrasado por mais 12 meses” afirmou Warhust, anunciando sua saída.

Com a saída do principal financiador do projeto, a equipe Bloodhound precisa encontrar, o quanto antes, um financiador para que a missão seja concluída ainda em 2022. Os cerca de US$ 11 milhões serão utilizados para instalar um foguete monopropulsor Nammo e levar o carro-foguete para ser testado nos terrenos de Hakskeen Pan, na África do Sul.

Ex-CEO da Bloodhound LSR
Ian Warhurst está deixando cargo de CEO da Bloodhound LSR, que busca novo financiamento para prosseguir com projeto. Foto: Bloodhound LSR/Divulgação

“O trabalho agora precisa ser reiniciado nos próximos meses para ficar pronto para uma tentativa de recorde em 2022”, disse o post publicado no site da Bloodhound.

Vale a pena o investimento?

Sim, US$ 11 milhões é um dinheiro e tanto. Contudo o futuro comprador pode ter grandes retornos, segundo a Bloodhound.

publicidade

O primeiro ponto — e talvez o mais importante deles — é que os testes em 2019 fizeram o carro-foguete alcançar um pico de velocidade de 1.010 km/h, quebrando as metas da equipe e demonstrando potencial para ultrapassar o recorde mundial.

Aliás, a quebra do recorde mundial poderá ser usado para angariar fundos para o projeto. O documentário do Channel 4 “Construindo o carro mais rápido do mundo” pode ganhar novos capítulos e novas coberturas da mídia devem trazer ainda mais repercussão para o projeto.

Carro-foguete da Bloodhound LSR
Projeto precisa arrecadar cerca de US$ 11 milhões para instalação novo foguete propulsor e para novos testes na África do Sul. Foto: Bloodhound LSR/Divulgação

Além disso, patrocínios e vendas de direitos poderão ser grandes aliados, possibilitando o retorno de todo o dinheiro investido pelo futuro comprador.

O futuro é incerto e um tanto quanto desafiador. Contudo, a chegada das vacinas contra a Covid-19 e um novo investimento à vista podem ser o “gás” que estava faltando para a equipe Bloodhound seguir com seu projeto rumo à quebra do recorde em 2022.

Via: The Verge