Especializada em manufatura aditiva, a Burloak Technologies Inc. é a primeira empresa a atingir as especificações BAC 5673 da Boeing para impressão 3D de componentes de alumínio AlSi10Mg. O anúncio, feito na quarta-feira (27), deve representar um grande avanço da Burloak no setor.

Com a aprovação, a Burloak Technologies vai desenvolver componentes para as aeronaves da Boeing com impressão 3D. Por enquanto, não há outras informações sobre como isso vai acontecer.

publicidade

A Burloak atua nos segmentos de design, engenharia, CNC e impressão 3D. Ganhou notoriedade na área de manufatura aditiva quando foi adquirida pelo grupo Samuel, Son & Co., em 2017. Hoje, é considerada a maior processadora e distribuidora de metais da América do Norte e tem dez metais certificados em laboratório — um deles é o AlSi10Mg.

Uma nova instalação de impressão 3D, com 3.700 m² de área, ampliou ainda mais os potenciais da companhia em manufatura aditiva. Com isso, tornou-se possível, por exemplo, fabricar peças com impressão 3D para satélites.

Peça de impressão 3D fabricada pela Burloak
Peças impressas em 3D pela Burloak serão usadas em aviões da Boeing. Foto: Burloak/Divulgação

Ou seja, não é de se estranhar que a Burloak tenha sido escolhida como fornecedora de peças da Boeing. Seus produtos devem ser utilizados em vários programas da companhia aérea. “Essa aprovação marca a conclusão de um processo de qualificação que incluiu uma avaliação rigorosa das capacidades da Burloak pela Boeing”, celebra Peter Adams, fundador e diretor de inovação da Burloak.

Parceria necessária

Assim como quase todas as empresas do mundo, a Boeing sofreu o impacto econômico da pandemia do novo coronavírus. Não à toa, a companhia registrou um déficit de US$ 11,9 bilhões (aproximadamente R$ 65,2 bilhões, em conversão direta) em 2020, que levou à dispensa de 30 mil funcionários.

A parceria com a Burloak pode significar uma retomada nos projetos da Boeing, além de possibilitar inovações para o setor aéreo. “Este marco também sinaliza a crescente importância da manufatura aditiva no setor aeroespacial e representa um passo à frente no caminho para um futuro mais verde para a aviação”, diz Colin Osborne, presidente e CEO da Samuel, Son & Co.

Fonte: 3DPrint.com