Na última quinta-feira (28), durante uma conferência voltada para assuntos de privacidade e proteção de dados, o CEO da Apple, Tim Cook, disse que é hora de enfrentar as consequências de ter algoritmos que levam usuários a buscar engajamento a qualquer custo.  

“Em um momento de desinformação cada vez mais presente e teorias da conspiração alimentadas por algoritmos, não podemos mais fechar os olhos para uma ideia que diz que todo engajamento é bom – tudo com o objetivo de coletar o máximo possível de dados. Quais as consequências de ver milhares de usuários ingressarem em grupos extremistas e, em seguida, perpetuar um algoritmo que o espalha ainda mais?”, questionou.  

publicidade

Cook mencionou os recentes distúrbios no Capitólio dos Estados Unidos como um claro exemplo de sua fala. Ele afirma que acabou o tempo de fingir que não há custos para impulsionar teorias da conspiração e incitação à violência simplesmente porque os usuários se engajam.  

“Já passou da hora de parar de fingir que essa abordagem não tem custo. Não se pode permitir que um dilema social se torne uma catástrofe social”, completa.  

Ao citar a Apple, o CEO disse que a empresa pode parecer ingênua, mas ainda acredita que a melhor característica da tecnologia é que ela pode melhorar vidas. “O futuro pertence às inovações que tornam nossas vidas melhores, mais realizadas e mais humanas ou pertencerá àquelas ferramentas que valorizam nossa atenção e excluem tudo o mais?”, questiona.  

Além do algoritmo, preocupações com segurança  

Ainda na quinta, a Apple divulgou um documento que atacou a indústria da publicidade e apontou que os aplicativos, em média, têm seis rastreadores de outras empresas que “têm o único propósito de coletar e rastrear pessoas e suas informações pessoais”.  

Para resolver isso, a Apple afirma que lançará em breve medidas de Transparência de Rastreamento de Aplicativos, que avisarão os usuários quando os apps quiserem acessar identificadores de publicidade nos sistemas operacionais da empresa. 

Via: ZDNet