EnglishPortugueseSpanish

Assim como fizeram os congressistas norte-americanos, membros do Parlamento Europeu convidaram os principais executivos da Amazon, Apple, Facebook e Alphabet (a dona do Google) para uma audiência sobre seus modelos de negócios. O encontro será realizado no próximo dia 1º de fevereiro, em Bruxelas.

Mark Zuckerberg, Jeff Bezos, Tim Cook e Sundar Pichai receberam o convite. Juntas, as quatro empresas valem um total de US$ 4,85 trilhões (e são administradas por dois dos indivíduos mais ricos do mundo).

publicidade

Já há algum tempo, a Comissão Europeia investiga práticas de concorrência desleal por parte das maiores empresas de tecnologia. Os países da União Europeia também estão preocupados com as ações tomadas pelas companhias para combater a desinformação online.

“O objetivo da audiência é fazer um intercâmbio com os diretores executivos das quatro empresas para aprender sobre seus modelos de negócios atuais e conceitos futuros enquanto enfrentam os desafios de alterar as condições de mercado”, afirma o convite, de acordo com a Reuters.

O CEO da Apple, Tim Cook. Imagem: John Gress Media Inc/Shutterstock

“O evento irá contribuir para preparar os membros do Parlamento Europeu para as próximas discussões sobre uma potencial nova regulamentação para o setor digital. Por todos esses motivos, queremos esclarecer que este convite é apenas para os CEOs”, completa a convocação.

A data do evento pode sofrer alterações, conforme a necessidade dos executivos. O presidente-executivo da Alphabet, Sundar Pichai, realizará uma videoconferência com a chefe antitruste da UE, Margrethe Vestager, no próximo dia 25, de acordo com a programação da Comissão Europeia.

publicidade

Em julho passado, Zuckerberg, Bezos, Cook e Pichai participaram de uma audiência no Congresso dos EUA, como parte das investigações feitas ao longo dos anos sobre a prática antitruste. Os executivos ainda tiveram que responder questionamentos sobre uso de dados pessoais, aquisições de outras empresas e até o uso de trabalho escravo.

Na Europa, caso aceitem o convite, os CEOs devem encontrar um ambiente menos hostil.

Via: Reuters