EnglishPortugueseSpanish

Ren Zhengfei, CEO e fundador da Huawei, torce para que Joe Biden, novo presidente dos Estados Unidos, entre em contato com ele. A afirmação veio do próprio executivo durante uma mesa redonda com diversos veículos da imprensa chinesa e, evidentemente, refere-se ao banimento da gigante das telecomunicações de fazer negócios com empresas americanas.

“Nossa empresa não tem a energia para se envolver nesse ‘redemoinho político’”, disse Zhengfei. “Nós lutamos para criar bons produtos. Nós esperamos que o [novo] governo dos EUA possa ter uma mente mais aberta para o benefício das empresas americanas e o desenvolvimento da economia estadunidense”.

publicidade
O CEO da Huawei, Rei Zhengfei, se diz otimista quanto a uma reaproximação da empresa com os EUA, e espera ser contatado pelo presidente Joe Biden no futuro. Imagem: ALY SONG/REUTERS
O CEO da Huawei, Rei Zhengfei, se diz otimista quanto a uma reaproximação da empresa com os EUA, e espera ser contatado pelo presidente Joe Biden no futuro. Imagem: ALY SONG/REUTERS

Essa foi a primeira vez que Zhengfei falou sobre o chamado “ban da Huawei” desde que Joe Biden assumiu a Casa Branca após derrotar Donald Trump durante as eleições do dia 3 de novembro de 2020. Trump, que ocupou o cargo anteriormente, baniu a Huawei de realizar qualquer tipo de negócio com empresas americanas, além de barrar a comercialização de seus produtos no país. A pressão foi tanta que aliados dos EUA em outras nações também reduziram a participação da chinesa em suas fronteiras e comércios.

Agora, o CEO da Huawei espera que Joe Biden esteja aberto a reacender as relações entre os dois países: “Eu receberia de braços abertos os telefones e mensagens relacionadas ao desenvolvimento conjunto e sucesso compartilhado”, disse Zhengfei. Entretanto, a posição oficial do governo dos EUA ainda é a de manter o banimento, e Joe Biden ainda não se manifestou publicamente sobre este assunto.

Não bastasse isso, ainda tem a situação de Meng Wanzhou, filha de Zhengfei e CFO da Huawei, que segue presa no Canadá pelas autoridades locais – a pedido dos Estados Unidos.

O iPhone 12 é o melhor, mas Mate e P seguem firmes

Outro ponto tocado na mesa redonda com os jornalistas foi a contínua admiração que o CEO da Huawei tem pelos produtos da Apple. Em uma afirmação que não deve surpreender muita gente, Ren Zhengfei disse categoricamente que considera o iPhone 12 “o melhor smartphone do mundo”.

Ao mesmo tempo, porém, ele ressaltou a perda de mercado da Huawei na Europa – para a Apple: “Consumidores de [smartphones] topo de linha na Europa amam a Apple. Uma vez que a Huawei não trabalha mais com dispositivos do tipo, os celulares da Apple nos ajudaram a provar que a nossa tecnologia 5G é boa”, ele disse. “Nós achamos, porém, que nossos novos desenvolvimentos de negócios poderão compensar a queda de faturamento de nossa divisão de smartphones este ano”.

Huawei P40
O Huawei P40 é um dos mais recentes aparelhos topo de linha lançados pela empresa, que desmentiu boatos de que a linha premium de smartphones estivesse à venda. Imagem: Framesira/Shutterstock

Finalmente, o CEO da Huawei comentou sobre recentes rumores de que a empresa estaria procurando por compradores de suas linhas “Mate” e “P” de smartphones topo de linha, desmentindo-os por completo e dizendo que a gigante chinesa “jamais venderia” seus negócios em celulares.

Ele disse, porém, que os desenvolvimentos da empresa na oferta de telefonia 5G estão disponíveis para negociação com todo o mundo: “Nós já dissemos anteriormente que a nossa tecnologia 5G pode ser transferida inteiramente. Isso inclui não apenas os direitos de desenvolvimento mas também programas e códigos fonte. Se os EUA precisarem de nossa tecnologia de chipsets, nós podemos transferi-la [a eles]. Nossas palavras são sinceras, mas até agora, nenhuma empresa nos buscou para negociar”.

Fonte: Android Authority