EnglishPortugueseSpanish

Bill Gates, bilionário e fundador da Microsoft, não acredita que colonizar o planeta Marte seja a solução adequada para resolver os problemas da Terra. Para o filantropo, a ideia defendida por personalidades como Elon Musk e outros pensadores não passa de uma bobagem. 

A declaração foi dada em uma entrevista de Gates para o podcast Sway, do The New York Times. Para ele, é mais importante fazer um trabalho aqui mesmo na Terra, começando por investir na descarbonização da economia, além de distribuir vacinas contra uma série de doenças, começando pela Covid-19

publicidade

“Basicamente, não estamos fazendo o suficiente no material pesado: aço, cimento, carne”, disse o bilionário. “E, infelizmente, as coisas em que as pessoas pensam – eletricidade, automóveis de passageiros – são um terço do problema. Portanto, temos que trabalhar nos dois terços”, completou. 

Sonda rumo a Marte

Elogio a Elon Musk

Apesar de não se enxergar como uma “pessoa de marte”, Bill Gates fez uma série de elogios a Elon Musk, dono da Tesla e da SpaceX. Para Gates, o impacto da empresa de carros elétricos do sul-africano é “uma das maiores contribuições para a mudança climática que alguém já fez”. 

Mas o fundador da Microsoft ponderou que a produção de veículos elétricos é um mercado muito fácil em comparação com o que é necessário fazer para limpar outros setores da economia, além de que investir em uma empresa de foguetes ou na colonização de Marte ao invés de se concentrar em tornar a indústria mais verde é uma oportunidade perdida. 

Gestante vacinada antes do parto passou anticorpos por cordão umbilical para o bebê
Foto: Unai Huizi Photography/Shutterstock

Vacinas ao invés de foguetes

Perguntado sobre foguetes, especialmente para o Planeta Vermelho, Gates é incisivo ao falar que prefere investir seu dinheiro em outras coisas, como vacinas e outras medidas que visem tornar a economia mais neutra em carbono.

“Não, não sou uma pessoa de Marte. Eu conheço muitas pessoas de Marte. Mas, você sabe, eu não estou sujeito a isso”, afirmou. 

Fonte: Futurism 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!