EnglishPortugueseSpanish

Um novo estudo mostra que quase todos os internautas brasileiros consomem vídeos. Chega a 99% a quantidade de pessoas no País que assistiram à TV, plataformas de streaming, lives, redes sociais e mesmo videochamadas no ano passado em diversos dispositivos, de acordo com a Kantar Ibope Media.

O estudo “Inside Video” observou que o Brasil se destaca em comparação ao restante do mundo. Quando o assunto é vídeo gratuito, online, 80% dos brasileiros ficam vidrados nas telas, enquanto a média global é de 65%. Já nas redes sociais, o Brasil ganha de 72% a 57%. A diferença nas plataformas de streaming é de 62% para tupiniquins contra 50% de estrangeiros.

publicidade

Segundo a Kantar Ibope Media, o crescimento ocorreu em diversas formas de acesso. Durante o isolamento por causa da pandemia do coronavírus, 68% dos internautas assistiram a vídeos e TV online em plataformas de streaming gratuitas.

Vídeos gratuitos foram amplamente consumidos por brasileiros.
Vídeos gratuitos foram amplamente consumidos por brasileiros. Imagem: freestock/Pexels

Os usuários de streaming pago representavam 58%, passando 1 hora e 49 minutos diários assistindo. As plataformas intensificaram a comunicação para atrair mais assinantes e o aumento nos investimentos de divulgação foi de 82%, comparado a 2019, usando até três meios de comunicação.

Já a tradicional televisão somou mais de 204 milhões de pessoas a assistindo em 2020. O tempo de tela foi uma média de 7 horas e 9 minutos por dia, 37 minutos a mais do que no ano anterior e o período mais alto nos últimos cinco anos.

Em média, os telespectadores passaram 30% mais tempo vendo canais de notícia, destacou Adriana Favaro, diretora de Desenvolvimento de Negócios da Kantar Ibope Media. A audiência da televisão registrou 38 das 50 maiores audiências dos últimos cinco anos.

O pico foi no dia 24 de março, quando foram anunciadas as notícias sobre o fechamento do comércio nas capitais dos estados, adiamento da Olimpíada Tóquio-2020 e a OMS alertando que os EUA eram o novo epicentro da Covid-19. A audiência foi 23% maior do que a média anual, que é de 18,25%. Para se ter uma ideia, o valor é maior do que as partidas da Copa do Mundo Rússia-2018, a greve dos caminhoneiros e tanto a abertura quanto o encerramento dos Jogos Olímpicos Rio-2016.

Esse comportamento diante do vídeo foi acelerado justamente por causa da circulação do vírus. Para acompanhar o crescimento, a medição cross mídia da Kantar Ibope Media vai usar um Focal Meter no painel de audiência, visando detectar o consumo online, a partir do segundo trimestre desse ano.

“Se a mudança de comportamento afeta toda a indústria, é cada vez mais urgente entender a audiência no cenário de múltiplas escolhas e intensificação da oferta. A medição em todas as telas e plataformas deve ser levada a sério, para que todos os players identifiquem o valor de uma visão integrada”, explicou Melissa Vogel, CEO da Kantar Ibope Media no Brasil.

Publicidade

O Inside Video percebeu que a experiência do vídeo ganhou mais relevância na publicidade. “A interatividade está em alta. Em agosto, por exemplo, 8% dos brasileiros disseram ter escaneado um QR Code pela primeira vez na pandemia”, explicou Arthur Bernardo Neto, diretor de Desenvolvimento de Negócios para Media Owners.


Experimente o Disney+. Clique aqui e Assine agora!