Se depender de Elon Musk, aeronaves vão ter acesso a internet ultra-rápida. O empresário pretende usar o projeto Starlink, desenvolvido pela SpaceX, para colocar satélites em órbita baixa e levar conexão para regiões remotas e aviões.

O Starlink foi criado justamente com a intenção de produzir satélites de baixo custo e alto desempenho. A ideia é fazer uma espinha dorsal de internet e banda larga global em órbita baixa. A vantagem do sistema é que ele consegue fazer a internet atingir pings muito mais baixos do que satélites geoestacionários.

publicidade

Para se ter uma ideia, os pings atingidos pela internet Starlink da SpaceX ficam entre 20 e 40 ms. Em aviões atuais, pelo modelo convencional, é superior a 600 ms. Apesar da ideia ousada, ainda não há aeronaves que suporte esse modelo de recepção e transmissão de dados. Nesse tipo de veículo tudo precisa ser feito de maneira calculada para não afetar os sistemas de comunicação.

Planta do projeto Starlink, desenvolvido pela SapaceX. Imagem: Divulgação

Novo sistema

“Os usuários não estão mais dispostos a abrir mão da conectividade enquanto estão em trânsito, seja dirigindo um caminhão pelo país, movendo um cargueiro da Europa para um porto dos Estados Unidos ou durante um voo doméstico ou internacional. Para ajudar a atender a essa demanda, a Starlink implantou um sistema de satélite inovador, econômico e eficiente em espectro, capaz de fornecer serviços de banda larga robustos a clientes em todo o mundo, especialmente em áreas não atendidas e mal atendidas”, informou a SpaceX.

Para ampliar os testes, a empresa de Musk informou que solicitou a Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC na sigla em inglês) uma autorização para fornecer internet para aviões, navios e veículos terrestres. Em breve, a companhia também pretende levar a conexão para casas e empresas.

O grande desafio da SpaceX é convencer as companhias aéreas a trocarem o sistema de wi-fi nos aviões, pois a tecnologia desenvolvida pelo Starlink não é compatível com o padrão de antena atual. Essa mudança certamente vai trazer custos.

Ainda não há uma previsão de quando isso deve começar a andar.

Via: Aeroflap

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!