O aplicativo de delivery iFood anunciou nesta quinta-feira (25) o Regenera, um plano audacioso de eliminar o plástico das entregas feitas por restaurantes, bem como zerar a emissão de carbono da empresa.

Segundo a foodtech, a ideia do programa é alcançar as metas até 2025 – ou seja, dentro de apenas quatro anos.

publicidade

O investimento estimado que será injetado na iniciativa é de R$ 100 milhões.

Entregador do iFood parado
Como parte do iFood Regenera, foodtech fechou parcerias para incentivar o uso de modais elétricos por motoristas do aplicativo. Créditos: Shutterstock

Para Fabricio Bloisi, CEO do iFood, a meta é apenas o começo de algo muito maior. “Acreditamos que as empresas precisam assumir uma posição pela sustentabilidade e no combate ao aquecimento global – não apenas zerar as emissões de carbono, mas regenerar o meio ambiente”, escreveu ele na sua página no LinkedIn.

O executivo também anunciou alguns passos que a empresa está tomando rumo à redução para emissão de carbono, incluindo a compra de créditos com o projeto MOSS para compensação.

No quesito plástico, desde o ano passado, a startup fez algumas ações mais pontuais, como dar ao cliente a opção do restaurante não enviar talheres e descartáveis nas entregas. Hoje, 90% dos consumidores usam o recurso.

Agora, a ideia é ampliar o escopo e investir em pesquisas para o desenvolvimento de um material sustentável que possa servir de substituto ao plástico.

O projeto também prevê “incentivo à cadeia de reciclagem, estímulos à mudança de hábito dos consumidores usuários do app, entre outras iniciativas futuras”, como afirma o Gustavo Vitti, vice-presidente de pessoas e sustentabilidade do iFood.

Veja também:

iFood Regenera pretende ir passo a passo

Esse já não é o primeiro passo rumo à concretização da meta de sustentabilidade da empresa de delivery.

Desde outubro de 2020, a foodtech já havia selado uma parceria com a Tembici para disponibilizar bicicletas elétricas para entregadores, com um plano semanal de aluguel flexível.

Além de equipamentos, a iniciativa, que ganhou o nome iFood Pedal, visa oferecer também um curso online de conscientização promovido pelo instituto Aromeiazero.

Atualmente, o programa conta com cerca de 2 mil cadastrados que compartilham 1 mil e-bikes somando as operações de São Paulo e Rio de Janeiro. A ideia é expandir para outras cidades.

A empresa também fechou uma parceria com a marca nordestina de motos elétricas Voltz Motors com a mesma intenção que estabeleceu com as e-bikes: conscientizar motoristas e incentivá-los a utilizar veículos não poluentes.

A parceria com a Voltz traz linhas de crédito especiais para que entregadores possam comprar as motocicletas.

O iFood também adquiriu 30 motos elétricas para distribuir entre entregadores, pra que eles pudessem testar o funcionamento do veículo.

Via: TechCrunch