Desde o começo da pandemia da Covid-19, diversas empresas de tecnologia moveram seus funcionários de suas sedes físicas e passaram a atuar quase que totalmente em escala de home office. Esse período em casa foi se estendendo e agora, algumas dessas companhias como Facebook, Microsoft e Uber, planejam voltar ao trabalho presencial. As informações são da Bloomberg.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, chegou anunciar que seus funcionários poderiam ficar integralmente em trabalho remoto daqui cinco ou dez anos, mas, por enquanto, é necessário uma parte da equipe de forma presencial. A rede social está reativando seus escritórios, incluindo sua sede, mas limitando em 10% da capacidade de ocupação. A ideia é não passar de 50% antes de setembro.

publicidade

Home office durante a pandemia de Covid-19

Mesmo com a reabertura, os funcionários precisam manter os distanciamento social e o uso de máscara. Quem estiver nos escritórios da empresa também vai precisar fazer testes de Covid-19 frequentemente.

O Uber deve voltar ainda mais cedo. Já nesta segunda-feira (29). a sede do aplicativo, em São Francisco (EUA) retomou os trabalhos com 20% da capacidade. A ideia é seguir um protocolo como o do Facebook. Já a Microsoft está criando um sistema de trabalho híbrido, para manter mesmo depois da pandemia de Covid-19, a ideia é continuar com os funcionários parcialmente em casa.

Leia também: 

O Google ainda não divulgou seus planos, mas, ano passado, o prazo que a gigante das buscas tinha dado para o fim do expediente em casa era setembro de 2021. A Apple é outra gigante que também não se pronunciou, mas funcionários comentaram estratégias para voltar aos escritório em maio deste ano.

A volta dos funcionários ao trabalho presencial, claro, é diretamente influenciada pela evolução da pandemia. Se houver um novo aumento dos casos de Covid-19 nos EUA, o home office deve ser mantido. O calendário dessas companhias se baseiam pelas declarações do presidente americano Joe Biden de que pretende vacinar todos os cidadãos do país até o mês de maio.

Via Bloomberg

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!