EnglishPortugueseSpanish

O rover Perseverance, da Nasa, finalmente “desembarcou” o mini-helicóptero Ingenuity em Marte. Agora, está quase tudo pronto para o histórico primeiro voo de uma aeronave na superfície de outro planeta.

O longo e cuidadoso processo de desembarque, que durou uma semana, começou com a liberação de uma trava que mantinha o aparelho preso embaixo do rover. O Ingenuity caiu de uma altura de dez centímetros do “ventre” do Perseverance até a superfície de Marte.

publicidade

Pode até não parecer uma queda muito grande, mas a distância já torna o pouso um marco significativo. Isso porque o helicóptero passou vários dias girando de uma posição horizontal para uma posição vertical. Sem contar, é claro, a viagem de sete meses que a aeronave levou para chegar ao planeta vermelho.

Separado definitivamente do Perseverance, o próximo passo para o Ingenuity é conseguir sobreviver as noites de Marte. Para isso, o helicóptero usará seus painéis solares durante o dia para absorver energia do sol, enquanto seu aquecedor terá o desafio de manter a aeronave aquecida depois do escurecer, em temperaturas que podem atingir -95 Cº.

Ao superar tais condições adversas, Ingenuity terá como objetivo realizar o primeiro voo com motor em um planeta que não seja a Terra. O plano é que ele consiga fazer cinco decolagens de teste dentro de 30 dias. As viagens, que estão marcadas para depois do dia 11 de abril, devem ocorrer em uma zona determinada pela Nasa.

Após o sucesso da missão, o Ingenuity se estabelecerá para sempre na superfície de Marte.

Ingenuity é uma “prova de conceito”

Vale lembrar que o Ingenuity é puramente uma prova de conceito: “O Ingenuity é um teste experimental de engenharia – queremos ver se podemos voar em Marte”, disse MiMi Aung, gerente de projeto do Ingenuity no JPL.

“Não há instrumentos científicos a bordo e nem metas de obtenção de informações científicas. Estamos confiantes que todos os dados de engenharia que desejamos obter na superfície de Marte e no alto podem ser obtidos dentro dessa janela de 30 sóis”.

Leia mais:

A equipe compara o voo do Ingenuity com o primeiro voo dos irmãos Wright, que nos EUA são considerados os pais da aviação, em 17 de dezembro de 1903. Para reforçar a conexão, o Ingenuity leva consigo, enrolado em um cabo, um pedaço da lona usada para revestir o “Wright Flyer”, aeronave que realizou o feito. 

Não é a primeira vez que um artefato da história da aviação vai ao espaço. Um outro pedaço da lona do Wright Flyer, bem como uma lasca da madeira usada como suporte de uma das asas, foram levados à Lua e depois voltaram à Terra na missão Apollo 11, em 1969. 

Via: The Verge

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!