EnglishPortugueseSpanish

O mercado de criptomoedas bateu um recorde histórico nesta segunda-feira (5), alcançando o valor de US$ 2,02 trilhões, segundo dados as empresas de análise de mercado Blockfolio.

Como era esperado, a bitcoin continua no topo, liderando o ranking de maiores moedas virtuais do momento. A criptomoeda, que no início deste ano alcançou valor de mercado de US$ 1 trilhão, mas sofreu desvalorização pouco tempo depois, retomou e manteve o patamar de 10 dígitos durante esta semana.

publicidade

Até o fechamento desta matéria, o bitcoin está negociado em US$ 59 mil, de acordo com a CoinMarketCap.

Enquanto o bitcoin continuar a ser negociadoa acima dos US$ 53 mil, o mercado das criptomoedas conseguirá manter força e continuar neste patamar de US$ 1 trilhão, segundo análise feita pela Reuters com especialistas do mercado.

E, por mais impressionante que o marco possa ser, esse é apenas o começo, na opinião de Sergey Nazarov, cofundador da Chainlink. Em entrevista à Reuters, o executivo fisse que US$ 2 trilhões é “menos de 1% do valor que pode ser armazenado” em blockchain.

Em resumo, “ainda há muito a se fazer em termos de capitalização de mercado e a adoção geral de contratos inteligentes”, disse ele.

Saiba mais!

A título de comparação, a Ethereum, a segunda moeda mais poderosa do ranking, está sendo negociada hoje em US$ $2,1 mil.

Satoshi Nakamoto e o 5 de abril

Coincidentemente ou não, dia 5 de abril também é a data atribuída ao nascimento do criador da bitcoin, Satoshi Nakamoto.

Vale lembrar que o icônico criador é um dos mistérios ainda sem resposta no mundo da criptolândia e não se sabe exatamente se a figura – responsável não apenas pela criação de uma das mais poderosas moedas virtuais atualmente, mas também de toda a base da blockchain -, é uma pessoa, ou um grupo.

Dizem também que a data do aniversário foi cuidadosamente escolhida: em 5 de abril de 1933 foi quando o governo dos Estados Unidos emitiu uma ordem executiva que tornava ilegal que cidadãos do país portassem – algo que a bitcoin resolveu.

Via Reuters, CoinMarketCap