EnglishPortugueseSpanish

Moradores da Flórida viram um belo “show de luzes” na noite desta terça-feira (13). Um meteoro riscou o céu por alguns segundos por volta das 22h16 (horário local, 23h16 em Brasília), antes de explodir em uma sequência de flashes.

O evento foi registrado por câmeras de segurança e por um repórter de uma afiliada da rede de TV CBS. “Grande flash e um rastro no céu em West Palm Beach. Aconteceu momentos atrás enquanto estávamos em uma live do Facebook para uma reportagem da @CBS12”, disse Jay O’Brian.

publicidade

Seu colega Zach Covey, meteorologista da CBS, respondeu dizendo que a bola de fogo era provavelmente “um pedaço do asteroide chamado 2021 GW4”, que “passou raspando” por nosso planeta na manhã de segunda-feira (12).

Nem todos concordam com essa afirmação. Entre eles Marcelo Zurita, Presidente da Associação Paraibana de Astronomia (APA), membro da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), diretor técnico da Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon), coordenador regional (Nordeste) do Asteroid Day Brasil e colaborador do Olhar Digital.

“Ainda é muito cedo para afirmar que o meteoro observado na Flórida possa estar relacionado ao asteroide 2021 GW4. Alguns asteroides mais primitivos são como uma pilha de entulhos, com pequenas rochas e alguns pedregulhos fracamente unidos por sua pouca gravidade. Quando se aproximam de objetos maiores como a Terra, a gravidade pode bagunçar essa “pilha de entulhos” e fazer com que alguns fragmentos se desprendam e atinjam o planeta”, disse.

“Nesse caso, como a diferença de tempo entre a aproximação do 2021 GW4 e o meteoro é muito grande, essa possibilidade é praticamente descartada. É possível que um fragmento tenha se desprendido do asteroide em uma passagem anterior e tenha atingido a Terra algumas horas depois de sua máxima aproximação no último dia 12. Entretanto, é algo extremamente improvável e que apenas uma análise comparativa entre as órbitas do asteroide e do meteoroide poderia apontar uma possível relação”, completou.

Clique aqui e assista a outros vídeos do evento.

O objeto chegou a apenas 26.200 quilômetros de distância de nós, menos de um décimo da distância média entre a Terra e a Lua, e mais próximo do que satélites em órbita geoestacionária.

Apesar da proximidade, e do espetáculo no céu, nunca corremos nenhum perigo. Isso porque um asteroide do tamanho de 2021 GW4, com cerca de 4 metros de diâmetro, não consegue sobreviver ao choque e calor da entrada em nossa atmosfera e geralmente se desintegra antes de atingir o solo, exatamente como mostrado no vídeo.

Leia mais:

Meteoros que são tão ou mais brilhantes que o planeta Vênus são chamados de “bolas de fogo” ou, em inglês, fireballs. Os que se desintegram de forma explosiva, como o da Flórida, também são chamados de bólidos.

Se você tem a impressão de que houve um aumento no número de notícias sobre meteoros recentemente, não está errado. Registros como o da Flórida estão se tornando cada vez mais comuns. Com o aumento do número de câmeras de vigilância gravando 24 horas por dia, especialmente no hemisfério norte, e a expansão de redes de monitoramento como a BRAMON, no Brasil, ficou cada vez mais fácil registrar algo que anteriormente era um evento efêmero.

Fonte: Live Science

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!