EnglishPortugueseSpanish

De acordo com uma nova pesquisa, alguns tipos de câncer podem alterar a aparência e o funcionamento do coração. Nos Estados Unidos, estima-se que 1,9 milhões de pessoas serão diagnosticadas com câncer este ano, segundo informações do National Cancer Institute. 

Com isso, ter um histórico de câncer se relaciona com o risco de problemas cardiovasculares, por exemplo, sobreviventes mais velhas do câncer de mama possuem maior probabilidade de morrer de doenças cardiovasculares e não de câncer de mama. Ademais, o câncer e as doenças cardíacas compartilham fatores de risco, incluindo obesidade e uso de tabaco.

publicidade

Os pesquisadores estão em busca de entender quanto do risco vem do próprio câncer em comparação aos tratamentos comuns que podem ser prejudiciais para o coração. Estudiosos no Canadá recrutaram 381 pessoas com câncer de mama ou linfoma e 102 pessoas sem câncer ou doenças cardiovasculares. 

Para observar a aparência e função do coração, os dois grupos foram submetidos a exames de ressonância magnética cardíaca para criar modelos 3D de seus corações e também um mapa da inflamação do músculo cardíaco. 

Ao colocar em comparação com o grupo de controle, as pessoas com esta doença tinham volume menor do ventrículo esquerdo e isso resulta em bombear menos sangue por batimento cardíaco. Além disso, o teste mostrou uma tensão elevada, uma medida de quão duro o coração está trabalhando. Portanto, o coração das pessoas com câncer exibia sinais de inflamação e todas as informações foram publicadas no Journal of the American Heart Association. 

Leia mais:

“Fornecemos evidências de que o câncer em si muda a saúde do músculo cardíaco”, explicou o autor sênior Dr. James A. White, diretor do Stephenson Cardiovascular Imaging Center do Libin Cardiovascular Institute. O profissional disse que parte da pesquisa tem se concentrado em tentar entender a influência da quimioterapia no sistema cardiovascular. 

Entretanto, ainda não sabem se os indivíduos com outros tipos de câncer (que não estão incluídos no estudo ) podem ter alterações semelhantes em seus corações. “A suposição de base – que o coração está em um estado normal de saúde antes do tratamento para o câncer – pode não ser totalmente verdadeira”, relatou White. 

Sobre como o câncer pode realmente causar essas mudanças, o diretor enfazitou que a inflamação sistêmica desempenha um papel à medida que a doença ativa o sistema imunológico, a resposta causa a inflamação e pode afetar o sistema cardiovascular.

Outro ponto importante é quanto tempo essas alterações cardíacas podem durar. “Assim que tratarmos o câncer, eles irão embora? Se assim for, não esperaria quaisquer consequências a longo prazo”, questionou o Dr. Tochukwu M. Okwuosa, diretor de serviços de cardio-oncologia do Rush University Medical Center, em Chicago.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!