Das alterações de rotina causadas pela pandemia da Covid-19, uma muito significante foi a implantação do home office, também chamado de trabalho remoto. Ou seja, as demandas, que antes eram atendidas quase 100% presencialmente, agora não só podem, como devem, ser cumpridas à distância. E como é feita a comunicação entre as partes? Como realizar reuniões com a imposição do distanciamento social? O Google Meet faz parte da resposta.

Entre as opções de plataformas de videoconferência, temos o Google Meet, que nesta quinta-feira (29) está completando um ano de gratuidade e acesso irrestrito aos usuários. Criado em 2017, a ferramenta, antes, era parte do pacote comercializado para corporações. Com a grande demanda por soluções para permitir o encontro virtual entre pessoas, viu-se a necessidade de o serviço ser aberto a todos.

publicidade

E agora, um ano depois, o Google divulgou uma pesquisa realizada com 1,5 mil pessoas de todo o Brasil, por meio da qual se descobriu, entre outros dados, as variadas formas de utilização do recurso entre os usuários brasileiros.

Segundo o estudo, houve um aumento de 20 vezes no tempo dedicado ao Google Meet pelo usuário durante todo este ano com o serviço liberado para todos. Só nos quatro primeiros meses de 2021, o crescimento foi de 275%.

Festas, chás de bebê, terapia online, eventos religiosos e até namoro: O Google Meet ultrapassou as fronteiras das reuniões corporativas durante a pandemia. / Imagem: Divulgação Google Blog

De namoro a exposições de arte pelo Google Meet

Quanto à frequência de uso da plataforma, 55% dos entrevistados afirmam que utilizam mais de uma vez por semana, sendo que 34% deles abrem o aplicativo, ou acessam a versão web, no mínimo uma vez por dia.

Em relação aos principais motivos de uso, cerca de 40% dos acessos são feitos para uso pessoal, incluindo: encontros com amigos, chás de bebê, eventos religiosos, sessões de terapia e até mesmo para namoro.

Exercícios físicos correspondem a 15% das utilizações informadas pelos entrevistados. Terapia online foi apontada por 11% deles, seguida por meditação, com 7% dos registros.

Entre os eventos mais formais, 17% são religiosos, como a realização de missas e cultos e 14% são festas de aniversário. Clubes de livros e saraus virtuais foram informados por 7% dos usuários. Outra utilização cultural foi apontada por 6%, que informaram acessos para visitas a museus ou exposições de arte.

Novidades a partir de maio

A partir do mês que vem, usuários poderão reduzir a quantidade de dados trafegados. Esse recurso será especialmente útil para quem participa de uma chamada em ambiente sem rede Wi-Fi.

Outra novidade interessante é que os fundos de cada usuário, que já podem ser trocados por fotos ou outras imagens estáticas, poderão ser substituídos por vídeos. Além disso, o modo de aumento artificial da iluminação durante chamadas, já permitido em dispositivos móveis, também estará disponível na versão web.