EnglishPortugueseSpanish

O Brasil já vê resultados da vacinação contra a Covid-19. O número de idosos de 80 a 89 anos mortos pela doença entre o fim de janeiro e a última semana de abril registrou uma queda de 16%. Além disso, o número de pacientes graves também caiu cerca de 13%. Já em quem possui mais de 90 anos, a redução foi ainda maior, de 26%. No geral, a média de redução ficou em 21% para todos os idosos acima dos 80 anos.

Atualmente, a média de imunização no Brasil está na faixa etária dos 63 anos, com alguns estados mais avançados que outros. Levando em conta o tempo para cada dose e o começo no fim de janeiro, o grupo acima dos 80 anos só começou a ficar majoritariamente imunizado a partir do fim de março.

publicidade

Em alguns lugares com a vacinação mais avançada os números são ainda mais impressionantes se levado em conta apenas o mês de abril. São Paulo registrou uma queda de 90% no número de internações em abril quando comparado ao mês de março, no grupo e idosos acima de 80 anos. “Para essas faixas etárias, a taxa de incidência de SRAG (síndrome respiratória aguda grave) por Covid-19 era cerca de 6 a 8 vezes maior que a taxa e incidência geral, e a partir da semana 07 cai para 4 vezes maior que a taxa de incidência geral”, disse a prefeitura em um comunicado.

Leia mais:

“Esse período coincide com as ações de vacinação para essas faixas etárias específicas, mas essa queda também pode estar relacionada a outros fatores, como adesão ao isolamento social e implementação de medidas de restrição de circulação no Estado e Município de São Paulo”, finalizou a nota.

No entanto, em adultos de todas as outras idades houve um aumento no número de óbitos e internações. A maioria dos brasileiros mais novos não receberam a vacina do coronavírus. O levantamento utilizou a plataforma SivepGripe para computar os casos.

O número de mortes no Brasil continua alto. Em média, o país segue registrando cerca de 2.400 óbitos diários e 56 mil casos. A partir de maio, a vacinação vai começar a abranger pessoas com comorbidades e os efeitos da imunização dos idosos de 60 a 80 anos vão conseguir ser sentidos.

Via Veja