O ator e comediante Paulo Gustavo, de 42 anos, teve uma piora em seu estado de saúde e está sofrendo por complicações causadas pela Covid-19. Antes com pneumonia bacteriana, o humorista agora está com embolia pulmonar.

Internado desde o dia 13 de março, Paulo Gustavo chegou a ter o uso de sedativos e bloqueadores reduzidos no último domingo (2). Ele chegou a interagir com outras pessoas e o marido, Thales Bretas.

publicidade

Porém, nesta segunda-feira (3), o artista teve uma piora e desenvolveu uma embolia pulmonar. “À noite, subitamente, houve piora acentuada do nível de consciência e dos sinais vitais, quando novos exames demonstraram ter havido embolia gasosa disseminada, incluindo o sistema nervoso central, em decorrência de uma fístula bronquíolo-venosa. Infelizmente, a situação clínica atual é instável e de extrema gravidade”, informa um trecho do boletim médico.

O que é embolia pulmonar?

A embolia pulmonar resulta da obstrução das artérias dos pulmões por coágulos, seja trombos ou êmbolos, que na maioria das vezes se formam nas veias das pernas ou pélvis, sendo liberados na circulação sanguínea. Por mais que seja raro, ainda existem casos de embolias gordurosas desencadeadas por traumas ou fraturas e também de embolias aéreas (formadas por bolhas de ar) e de líquido amniótico.

O nível de gravidade do quadro é correlacionada com o tamanho do êmbolo. Portanto, os maiores podem afetar a circulação pulmonar e ser uma condição mortal.

Alguns casos pequenos não provocam sintomas e passam despercebidos. Em outros casos maiores, mais de uma artéria pulmonar é afetada e os sintomas aparecem, como:

  • Dor torácica de início repentino ou que vai aumentando de intensidade;
  • Falta de ar;
  • Aceleração dos batimentos cardíacos e da respiração;
  • Palidez;
  • Ansiedade.

Para tratar inicialmente a embolia pulmonar, é preciso administrar o oxigênio e a heparina por meio de uma via intravenosa com medicamento de ação rápida para evitar o aumento dos coágulos e a formação de novos. Inclusive, os medicamentos precisam ter acompanhamento médico.

Leia mais:

A embolia pulmonar pode ser chamada de “infarto pulmonar” e “tromboembolismo pulmonar” (TEP). A doença que afeta Paulo Gustavo engloba fatores de risco como: imobilidade prolongada, cirurgias extensas, câncer, traumas, anticoncepcionais com estrógeno, reposição hormonal, gravidez e pós-parto, varizes, obesidade, tabagismo, insuficiência cardíaca, idade superior a 40 anos, DPOC e distúrbios na coagulação do sangue.

Além da embolia: saiba o que é ECMO, técnica usada para tratar Paulo Gustavo

Após ter uma piora no quadro de saúde, o ator Paulo Gustavo foi submetido a um procedimento de Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO), popularmente conhecido como pulmão artificial. Mas como funciona o método?

De acordo com o Relatório de Recomendação divulgado pelo Ministério da Saúde, o procedimento pode ser utilizado em casos graves em que a ventilação mecânica convencional da UTI não consegue dar conta de suprir da demanda de oxigênio para os pulmões. O paciente pode ficar com o ECMO “até que os pulmões recuperem-se e readquiram a sua função básica”, diz o artigo.

Para saber mais, acesse a reportagem especial do Olhar Digital.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!