A pandemia da Covid-19 fez com que emissões de gases de efeito estufa e aerossóis caíssem em 2020. Mas, a retomada de vários serviços e da economia global pode fazer com que esses gases voltem a circular em maior quantidade na atmosfera. Com isso em mente, um novo estudo observou essa queda em doze modelos da Terra para ver quanto ela pode durar.

A pesquisa foi publicada no site Advancing Earth and Space Science. Logo no resumo, os autores destacam as restrições de circulação em diversas nações por causa do coronavírus em 2020. “Isso causou uma redução temporária nas emissões de CO2 e outros poluentes”, diz o texto. Assim, colocaram os modelos à prova.

publicidade

Leia mais:

“Esses doze modelos realizaram mais de 300 experimentos usando várias condições iniciais. Achamos um consenso de que a quantidade de aerossóis foi reduzida, especialmente no sul e no leste asiático, entre 2020 e 2024”, continua a explicação do estudo.

O tipo de projeto, de intercomparações de modelos, geralmente leva anos para ser projetado e executado. Ele tem a capacidade de detectar os menores sinais climáticos. O primeiro resultado do projeto atual, com foco nos impactos imediatos, presume que as emissões globais vão retornar aos níveis de base em 2022.

O lockdown em diversos lugares diminuiu a emissão de gases.

Os modelos mostraram queda na profundidade ótica de aerossóis, medida de quanta luz do sol fica impedida de atingir a superfície da Terra por causa das partículas dos aerossóis. Também foi observado aumento na radiação solar que chega à superfície do planeta. O maior impacto foi visto na Índia e na China.

“Contudo, nós não conseguimos detectar qualquer impacto associado à temperatura ou chuva. Recomendamos mais análises em escala regional. Também sugerimos que a análise de condições meteorológicas extremas e qualidade do ar seria útil para testar o impacto das reduções de emissões devido à Covid-19 no clima”, continuam os pesquisadores.

Diante de todos os dados gerados pelos modelos, os autores concluíram que a queda nas emissões globais por causa da pandemia é pequena demais, em magnitude e duração, para ter algum impacto significativo no clima do planeta. Eles esperam que os resultados guiem futuros trabalhos em áreas com análises garantidas, como impactos da redução de emissões a longo prazo e decisões para recuperação econômica.

Via: Phys

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!