Gal Gadot confirmou os relatos sobre sua relação conturbada com Joss Whedon em meio às refilmagens de ‘Liga da Justiça’ (2017). Dando mais detalhes de sua experiência pessoal com o diretor, a atriz afirmou que ele realmente ameaçou “destruir a carreira” dela durante uma discussão.

“O que eu tive com Joss, basicamente, foi que ele ameaçou minha carreira e disse que, se eu fizesse alguma coisa, ele tornaria minha carreira miserável e a destruiria, e eu simplesmente resolvi a questão na hora”, afirmou a intérprete da Mulher-Maravilha em entrevista ao canal de TV “N12” em Israel, país natal da atriz.

publicidade
Gal Gadot como Mulher-Maravilha em 'Mulher-Maravilha 1984'. Imagem: Clay Enos/DC Comics
Gal Gadot como Mulher-Maravilha em ‘Mulher-Maravilha 1984’. Imagem: Clay Enos/DC Comics

O relato confirma uma extensa reportagem publicada pela revista The Hollywood Reporter (THR) no começo de abril passado. Na época, ela não quis entrar em detalhes, dizendo apenas, em um comunicado: “Eu tive meus problemas com [Whedon] e a Warner Bros. lidou com isso em tempo hábil.”

Os motivos por trás da briga envolviam as preocupações de Gadot com a versão revisada do filme, incluindo “questões sobre o desenvolvimento da heroína”. A fonte afirma que ela “queria fazer com que a Mulher Maravilha crescesse de um filme para o outro”, mas o novo roteiro deixava a personagem “mais agressiva”.

Então, Whedon teria forçado Gadot a gravar diálogos que ela não gostava, chegando ao ponto de ameaçar a carreira da atriz, e ofender a diretora do filme solo da personagem, Patty Jenkins. “Joss (Whedon) estava se gabando dessa situação com Gal (Gadot), dizendo que ele era o roteirista/diretor e ela iria calar a boca e fazer aqueles diálogos reescritos, pois assim ele podia fazê-la parecer incrivelmente estúpida no filme”, relatou uma testemunha anônima ao THR.

Leia mais:

Gadot e Jenkins, então, levaram a briga até o presidente do estúdio na época, Kevin Tsujihara – que, ironicamente, deixou o comando da Warner Bros. pouco depois das refilmagens de ‘Liga da Justiça’, acusado de assédio sexual.

Devido a repercussão das denúncias, a WarnerMedia contratou uma investigação particular independente para descobrir o que realmente tinha ocorrido. “Eu sei que eles fizeram uma investigação muito completa, tendo como parâmetro o tempo que passei com eles”, contou a atriz, em dezembro, à revista Variety.

A WarnerMedia emitiu um comunicado oficial em 11 de dezembro, afirmando que havia concluído sua investigação sobre os bastidores do filme e, sem mencionar nomes, acrescentou que “medidas corretivas foram tomadas”.

Gal Gadot, Ray Fisher, Jason Momoa… Entenda o caso

Imagem mostra os heróis do filme "Liga da Justiça", da esquerda para a direita: Superman, Aquaman, Mulher-Maravilha, Flash, Batman e Ciborgue. A imagem está em preto e branco
‘Liga da Justiça’ na versão ‘Snyder Cut’, lançada em 2021. Imagem: Warner/Divulgação

E não foi só Gadot que denunciou o suposto comportamento abusivo de Whedon, que assumiu as filmagens de ‘Liga da Justiça’, em 2017, depois da saída de Zack Snyder da direção por problemas familiares. Em julho de 2020, o ator Ray Fisher, que interpretou Ciborgue em, acusou o diretor nas redes sociais de comportamento “nojento, antiprofissional e completamente inaceitável” durante as gravações da produção.

A WarnerMedia tentou abafar a polêmica na época, mas Jason Momoa, o Aquaman, apoiou Fisher publicamente e escreveu dois meses depois em seu Instagram que “coisas sérias aconteceram” nas refilmagens e que “pessoas precisam ser responsabilizadas” pelo que houve em ‘Liga da Justiça’.

E mesmo com o aparente posicionamento da produtora a favor dos atores, surge a dúvida sobre a volta de Ray Fisher ao papel de Ciborgue nos cinemas. O ator está na versão do ‘Zack Snyder de Liga da Justiça’ (2021), mas já confirmou que não vai aparecer no filme solo do ‘Flash‘, como estava previsto.

Imagem promocional do 'Snyder Cut', versão do diretor Zack Snyder do filme 'Liga da Justiça'. Imagem: DC Films/Reprodução
Imagem promocional do ‘Snyder Cut’, versão do diretor Zack Snyder do filme ‘Liga da Justiça’. Imagem: DC Films/Reprodução

A versão original de ‘Liga da Justiça’ arrecadou US$ 657,9 milhões em todo o mundo, com um custo de produção estimado de US$ 300 milhões. Segundo fontes de financiamento de filmes à Deadline, a produção não lucrou e teve um saldo negativo US$ 60 milhões na época.

Com o ‘Snyder Cut’, é estimado que o valor da produção esteja em US$ 370 milhões, dado as refilmagens e efeitos visuais adicionais.

E a nova versão, com quatro horas de duração, já está disponível no Brasil e pode ser alugado em plataformas como: Apple TV, Claro, Google Play, Looke, Microsoft, Playstation, Sky, Uol Play, Vivo e WatchBr por R$ 49,90.

Fonte: Deadline

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!