Segundo um estudo publicado em maio, o teste positivo para a Covid-19 não está associado a baixos níveis de vitamina D. A equipe conduziu a pesquisa com uma amostra envolvendo funcionários que optaram por fazer o teste de imunoglobulina para o vírus.

Os dados foram incluídos para mais de 18 mil indivíduos com testes e níveis de vitamina D dos períodos tanto pré-pandêmico como durante a pandemia.

publicidade

Eles descobriram que 5% dos participantes eram soropositivos para a Covid-19 e não foi associada a ter um nível de vitamina D antes ou durante a pandemia em modelos ajustados para: idade, sexo, etnia, educação, índice de massa corporal, pressão arterial, tabagismo e localização geográfica.

Em análises, os resultados foram semelhantes, pois houve uma associação observada para soropositividade. “Essas descobertas não apóiam a hipótese de que a vitamina D desempenha um papel na suscetibilidade à infecção por Covid-19”, indica a pesquisa.

Leia mais:

Fonte: Medical Xpress

Cães farejadores aprendem a detectar a Covid-19 pelo cheiro

É uma teoria muito comum de que o cachorro é o melhor amigo do mundo, afinal de contas, o animal de estimação se faz presente em diversos momentos da vida pessoal e profissional. Agora, treinadores desenvolveram técnicas para ensinar uma matilha de cães farejadores a sentirem o cheiro da Covid-19.

Em fase de testes, se os cães pudessem detectar o coronavírus com precisão nas roupas, eles também poderiam patrulhar locais como aeroportos e estádios para farejar o vírus em locais públicos. “Nossa grande questão é: podemos traduzir isso em um uso operacional?” disse Cynthia Otto, autora do estudo e diretora do Centro de Trabalho para Cães da Escola de Medicina Veterinária da Universidade da Pensilvânia. 

Para saber mais, acesse a reportagem no Olhar Digital.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!