Em 2009, o então velocista jamaicano Usain Bolt se tornou o ser humano mais rápido do planeta, ao completar a prova dos 100 metros rasos no Campeonato Mundial de Atletismo, em Berlim, Alemanha, em 9,58 segundos. O tempo do atleta foi quebrado pelo dublê britânico e piloto de jetpack Richard Browning, com uma mochila à jato. Ele completou os 100 metros em apenas 7,69 segundos.

Mas, Usain Bolt não precisa se preocupar e voltar a correr para assegurar seu recorde. O tempo feito por Browning entrou também no Guinness, o livro dos recordes, mas com uma ressalva óbvia: são os 100 metros mais rápidos em um macacão com motor a jato controlado pelo corpo. O traje usado pelo britânico é do tipo “Homem-de-ferro”.

publicidade

Leia mais:

O ex-velocista jamaicano Usain Bolt é tricampeão olímpico nos 100 metros rasos (e também nos 200 metros). Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil

No desafio organizado pelo Livro dos Recordes, Browning tinha como primeiro objetivo quebrar a marca estabelecida por Bolt em 2009. Ele conseguiu, com quase dois segundos de margem. “Eu tenho que dizer, todo respeito a Usain Bolt, porque eu achei isso muito rápido. Eu só posso imaginar como é correr não muito mais lento. É simplesmente incrível”, disse.

Usain Bolt não é apenas o homem mais rápido do mundo. Ele é o segundo, o terceiro e o sétimo. Na tabela de tempos da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), o jamaicano aparece quatro vezes, com o tempo de 9,58 segundos, em Berlim, e os dois melhores tempos olímpicos, com 9,63 segundos nos Jogos de Londres-2012 e 9,69 segundos nos Jogos de Pequim-2008. Ele também é o atual campeão olímpico, com o ouro nos Jogos do Rio-2016, registrando a marca de 9,81 segundos.

Outros recordes

Depois, o dublê britânico realizou a prova de 400 metros com barreiras, exigindo controle, além da velocidade, pois as regras o obrigavam a superar um obstáculo por vez. O recorde mundial de um atleta nessa prova é de Kevin Young, atleta norte-americano que estabeleceu a marca de 46,78 segundos na Olimpíada de Barcelona-1992. Com a mochila a jato, Richard Browning realizou os 400 metros com barreiras em 42,06 segundos.

Por fim, o dublê fez uma prova de salto com vara. Diferente do que um atleta olímpico precisa fazer, Richard não precisou da vara. Afinal, estava equipado para superar o sarrafo fixado em 6,19 metros, um centímetro mais alto do que o recorde do aleta sueco Armand Duplantis, conquistado no Campeonato Mundial Indoor de Glasgow, em 2020.

O Guinness exigiu que Richard Browning imitasse a trajetória de um salto com vara humano, realizando uma corrida de 40 metros e em seguida o movimento para cima, ultrapassando o sarrafo e pousando, em segurança, do outro lado. Mais uma vez, o britânico colocou o nome do livro, com o recorde também no tempo de 13,09 segundos.

A mochila a jato usada pelo dublê tem mil cavalos de potência. Em 2019, Ricahrd Browning já havia estabelecido o recorde mundial de “velocidade mais rápida em um traje movido a um motor a jato controlado pelo corpo (guiado pelo vento)”, chegando a 136,89 km/h (85,06 mph).

Depois de receber os certificados, o dublê lembrou que a ideia não é fazer algo como as modalidades olímpicas. “É uma boa demonstração do que você pode fazer com um pouco de tecnologia e o corpo humano em mente”, disse Browning.

Via: Futurism / Guinness

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!