O muito especulado e aguardado Nintendo Switch Pro pode ser finalmente revelado! E, aparentemente, o anúncio deve ocorrer nas próximas semanas, antes do dia 12 de junho, quando começa a E3, de acordo com fontes da Bloomberg. O próximo console da empresa japonesa começará a ser produzido em julho, e deve ficar pronto entre setembro e outubro deste ano.

Ainda segundo as fontes da publicação, o Switch Pro será vendido por cerca de US$ 299 (algo em torno de R$ 1.500), ao lado da versão mais barata do console, o Switch Lite. Ou seja, as novas opções substituirão o modelo principal existente quando chegar ao mercado, que não será mais fabricado.

publicidade
Nintendo Switch
Pro e Lite substituirão o atual modelo do Nintendo Switch no mercado. Imagem: Neilson Barnard/Getty Images for Nintendo of America

A Bloomberg acrescenta que a Nintendo iniciará a montagem do novo Switch Pro em julho, antes da apresentação oficial da empresa na E3 – o que daria aos desenvolvedores espaço para mostrar os jogos atualizados no novo modelo. E, apesar da escassez mundial de chips, a “Big N” deverá ter volume suficiente para um lançamento “em setembro” sem problemas.

“Os fornecedores estão confiantes de que podem atender aos pedidos da Nintendo, apesar da contínua escassez de chips”, diz o artigo. “Suas linhas de produção estão mais bem preparadas para a potencial mudança de componentes e as peças que a Nintendo está usando estão sujeitas a menos competição do que as dos consoles mais poderosos de seus rivais”.

Leia mais:

Como já noticiado pelo Olhar Digital, a versão melhorada do novo Nintendo – sem nome oficial, mas conhecida popularmente como Switch Pro – utilizará a tecnologia DLSS da Nvidia para chegar à resolução 4K quando ligado à TV e ainda terá uma tela OLED aprimorada de 7 polegadas, maior que a do atual modelo (6,2) ou Switch Lite (5,5).

Em uma coletiva de imprensa sobre os lucros no início de maio, o presidente da Nintendo, Shuntaro Furukawa, disse que a demanda pelo modelo padrão continua alta e que a empresa “não foi capaz de produzir a quantidade de unidades que desejava”. A Bloomberg pediu um posicionamento aos representantes da empresa, que não quiseram comentar os rumores.

Fontes: Bloomberg, Eurogamer e Gamespot

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!