O Facebook planeja lançar um smartwatch no próximo verão do Hemisfério Norte, ou seja, meados de 2022. O relógio inteligente de Mark Zuckerberg deve ter duas câmeras para capturar vídeos sem o celular por perto e monitor de frequência cardíaca.

A empresa não confirma publicamente o lançamento e a informação foi divulgado pelo site norte-americano The Verge. A tela do aparelho poderá ser removida do pulso para uso das câmeras. As imagens feitas poderão ser compartilhadas com apps do Facebook, incluindo o Instagram.

publicidade

Leia mais:

A câmera frontal do gadget será destinada, principalmente, a videochamadas. Já a lente traseira terá foco automático e gravação em 1080p. Ainda segundo o The Verge, o Facebook convocou outras empresas para criarem acessórios para prender essa parte com a câmera em mochilas, por exemplo.

Parte do plano do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, é que os usuários utilizem o relógio do mesmo modo que smartphones são usados atualmente. Ele quer, ainda, criar mais dispositivos para enfrentar Apple e Google, que, basicamente, controlam a capacidade do Facebook de alcançar pessoas.

Para chegar ao relógio inteligente, a companhia trabalha com as principais operadoras de telefonia móvel dos Estados Unidos para conseguir oferecer suporte à conectividade LTE. Assim, o dispositivo não precisará ser emparelhado com um celular para funcionar.

O smartwatch do Facebook deve ser vendido nas cores branco, preto e dourado. A ideia da empresa de Zuckerberg é vender, inicialmente, centenas de milhares de peças, uma fatia pequena do mercado. A Apple, por exemplo, vendeu 34 milhões de relógios em 2020.

Apple Watch
O Apple Watch vendeu 34 milhões de unidades em 2020. Imagem: Anna Hoychuk/Shutterstock

Em futuras versões, os wearables do Facebook devem servir como porta de entrada para os planejados óculos de realidade aumentada. Mesmo sem o primeiro modelo no mercado, a empresa já pensa na segunda e terceira gerações para os próximos anos. Por enquanto, estima-se que o preço sugerido seja de US$ 400 (R$ 2.025, na cotação desta quarta-feira, 9).

Zuckerberg, porém, ainda pode descartar o relógio, já que o dispositivo não entrou em produção em massa nem recebeu um nome oficial. Afinal, o Facebook não tem um bom histórico com hardware, como seu celular de 2013, em parceria com a HTC, que foi um fracasso de vendas.

Via: The Verge

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!