Quarenta pesquisadores do sono assinaram uma carta aberta pedindo aos legisladores dos Estados Unidos que regulamentem uma técnica chamada Incubação de Sonhos Direcionada (TDI, na sigla em inglês). Segundo eles, a TDI tem a capacidade de colocar anúncios nos sonhos das pessoas e, inclusive, já estaria sendo estudada por algumas grandes marcas, como a cervejaria Molson Coors e a rede de fast food Burger King.

“A publicidade TDI não é um truque divertido, mas uma ladeira escorregadia com consequências reais”, escreveram os pesquisadores em sua carta . “Plantar sonhos nas mentes das pessoas com o propósito de vender produtos, sem falar de substâncias viciantes, levanta questões éticas importantes”, prosseguiram os cientistas. “Nossos sonhos não podem se tornar apenas mais um playground para anunciantes corporativos”.

publicidade

Segundo os autores da carta, quem tem investido nessa técnica é a Molson Coors, que é dona de uma série de marcas de cerveja muito populares entre os americanos, como Coors, Blue Moon e Miller. De acordo com os pesquisadores, a cervejeira teria usado a TDI alguns dias antes do Super Bowl, a final da Liga Nacional de Futebol Americano (NFL).

Corrente com cerveja

Para isso, eles convidaram algumas pessoas a assistirem um “vídeo indutor de sonhos”, que teria sido criado com a colaboração de um cientista do sono. No clipe, seriam incluídas imagens e sons de cachoeiras, montanhas e da cerveja Coors, que seria a marca anunciada no evento, antes que os voluntários adormecessem. Em troca, os participantes receberiam um engradado com 12 cervejas caso enviasse o vídeo para mais um amigo, em algo parecido com um esquema de corrente.

Comercial da cerveja Coors exibido durante o Super Bowl

Os autores da carta alertam que, até agora, a engenharia do sono exige a participação ativa da pessoa que será impactada. Porém, eles avisam que isso pode ser o início do desenvolvimento de uma tecnologia que, no futuro, não precise de uma ação direta de quem vai “receber” o anúncio em seus sonhos.

Leia também!

“É fácil imaginar um mundo em que alto-falantes inteligentes se tornem instrumentos de propaganda passiva e inconsciente da noite para o dia, com ou sem nossa permissão”, alertaram os pesquisadores. “Essas trilhas sonoras personalizadas se tornariam o cenário de fundo para o nosso sono, como os intermináveis ​​outdoors que se espalham pelas rodovias americanas se tornaram para a nossa vida acordada”, completaram os cientistas.

Com informações do Futurism

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!