O Windows 11, anunciado pela Microsoft durante um evento online realizado nesta quinta-feira (24), será uma atualização gratuita para os usuários do Windows 10, assim como este foi uma atualização gratuita para os usuários do Windows 7 ou 8.

Entretanto, para rodar o sistema o PC precisará preencher alguns requisitos. Entre eles ter um processador de 64 Bits com 2 ou mais núcleos rodando a pelo menos 1 GHz, 4 GB de RAM, um HD de 64 GB ou maior, uma tela HD (720p) com mais de 9 polegadas na diagonal e BIOS UEFI compatível com SecureBoot.

publicidade

Máquinas que atendem os requisitos receberão a atualização para o Windows 11 via Windows Update, da mesma forma como o Windows 10 é atualizado semestralmente. Entretanto, a Microsoft não informou quando o sistema operacional será lançado.

O que há de novo no Windows 11?

A nova versão do Windows traz profundas mudanças na interface, com um novo menu Iniciar centralizado na parte de baixo da tela, novas ferramentas para gerenciamento de janelas e grupos de apps e múltiplos desktops virtuais.

Também há mudanças para facilitar o uso em telas sensíveis ao toque, como suporte a gestos na tela, feedback tátil (haptics) ao usar uma caneta, um novo teclado virtual derivado do Skiftkey e um sistema de ditado de texto e comandos de voz. 

Menu Iniciar do Windows 11. Imagem: Tom Warren/Reprodução

O Teams, aplicativo de comunicação da Microsoft, está sendo reposicionado como uma espécie de alternativa ao Messages e integrado ao sistema, com direito a ícone na barra de tarefas. Um clique abre uma lista de contatos recentes, facilitando o início de uma conversa por texto, voz ou vídeo.

Mas a grande surpresa fica na loja de aplicativos, a Microsoft Store. Além de um novo visual, ela terá integração com a Amazon App Store, permitindo a instalação e uso de aplicativos Android no Windows 11, sem a necessidade de um “emulador” como o Bluestacks.

Segundo a Microsoft, o Windows 11 chega “ainda neste ano”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!