Um novo estudo demonstra que muitos pacientes odontológicos estão tomando medicamentos e isso desdobra em questões de saúde bocal a longo prazo. A pesquisa do Regenstrief Institute e da Indiana University School of Dentistry analisou registros dentários de 11.220 pacientes odontológicos com mais de 18 anos.

Os resultados indicaram:

publicidade
  • 53% de todos os pacientes relataram tomar pelo menos um medicamento;
  • 12% das pessoas de 18 a 24 anos estavam tomando pelo menos um medicamento;
  • 20% das pessoas com idades entre 25-34 estavam tomando pelo menos um medicamento.

“O número de adultos jovens sob medicação realmente nos surpreendeu”, disse o autor sênior Thankam Thyvalikakath, diretor do Regenstrief e do Programa de Informática Odontológica da Escola de Odontologia IU. 

“Frequentemente, os dentistas presumem que os indivíduos dessa idade não estão tomando medicamentos, mas esses resultados ressaltam a importância de prestar atenção aos históricos médicos de todos os pacientes, porque os medicamentos podem desempenhar um papel significativo na saúde bucal”, complementou.

Além disso, os adultos mais jovens tinham maior probabilidade de tomar antidepressivos, que podem causar boca seca, e opioides, que trazem o risco de dependência. O estudo destacou a importância dos profissionais de odontologia revisarem o histórico de medicamentos, independentemente da idade.

Leia mais:

“Precisamos estar cientes dessas possibilidades, porque a boca seca aumenta o risco de cárie e perda dentária, e os profissionais de odontologia devem ser proativos com medidas preventivas “, afirmou o Dr. Thyvalikakath. 

Com isso, o estudo mostrou que pacientes mais velhos eram mais propensos a tomar medicamentos para tratar doenças crônicas como colesterol alto, hipertensão e diabetes.

No futuro, o Dr. Thyvalikakath comentou que espera desenvolver e testar uma intervenção para alertar os prestadores de cuidados dentários sobre medicamentos e histórico médico, porque um quadro mais completo da saúde de uma pessoa pode levar a melhores cuidados e prevenção.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!