Mais de uma década após o terremoto seguido de um tsunami que causou o derretimento de um dos reatores da usina de Fukushima, um novo estudo indica que diferentes espécies de vegetais e animais prosperaram na região devido à ausência dos humanos, evacuados do local logo após o incidente.

Dentre os animais estão, segundo o portal de notícias Inverse, porcos domesticados que se reproduziram com javalis, criando animais híbridos que no Brasil são conhecidos como “javaporcos”. Um fator preocupante, já que alguns animais da região, mesmo após tanto tempo, ainda podem ser radioativos.

publicidade

Donovan Anderson, estudante de PhD na Universidade de Fukushima e coautor do estudo sobre o surgimento dos híbridos de porco e javali, disse que embora os humanos ainda não possam retornar para casa, a vida selvagem sobrevive na “paisagem abandonada”.

Fatos como esse ilustram bem o que acontece quando os humanos são forçados a fugir após um desastre natural. A fonte indica que os javalis híbridos serão caçados para permitir que eventualmente os moradores voltem a residir na região.

Leia mais:

Maioria dos javalis vivem perto da zona de evacuação

Anderson e sua equipe estudaram amostras de músculos dos porcos e híbridos de porco-javali. O resultado da pesquisa mostrou que 16% dos javalis da região eram híbridos. Cerca de 75% deles estavam em um raio de apenas 20 km da zona de evacuação.

No entanto, segundo os pesquisadores, a nova espécie provavelmente não permanecerá híbrida a longo prazo. Eles tinham em média apenas 8% do DNA suíno, indicando que os genes não vão durar por muitas gerações.

Por fim, Anderson disse que essas mudanças de adaptação em javalis, provavelmente causadas pela ausência de pessoas, também não devem se manter, especialmente quando os humanos retornarem.

Fonte: Inverse