Uma plataforma com foco na economia criativa é pioneira em possibilitar que criadores de conteúdo e fãs compartilhem o lucro de projetos, trazendo ao mercado uma nova classe de ativos com entrada a partir de 10 reais. Esse é o DIVI•hub.

Criada pelo empreendedor brasileiro Ricardo Wendel e pelo especialista em finanças americano David Farron, após mais de dois anos de pesquisas, viagens e estudos, o DIVI•hub promete mudar o mercado de investimentos e a economia criativa no país. 

publicidade
Startup anunciou no Twitter, na última quarta-feira (30), que o lançamento aconteceria no dia seguinte. O evento contou com a participação de influenciadores envolvidos no projeto.

Lançado nesta quinta-feira (1), o app oferece ao mercado uma nova categoria de investimentos: o passion investment (investimento passional, em tradução livre). A live de lançamento contou com a participação de nomes como Maurício Meirelles e Fabio Rabin, comediantes famosos do stand-up comedy nacional, a influenciadora digital Bibi Tattoo e o piloto de Drift Sheriff Barion. 

O comediante e empresário Maurício Meirelles apresentando o evento de divulgação e lançamento do DIVI•hub. Imagem: Captura de tela YouTube – Divulgação

O DIVI•hub possibilita o financiamento coletivo em projetos de entretenimento digital como canais de YouTube, games, música e arte, ao mesmo tempo em que cria oportunidades para fãs e marcas virarem investidores, sendo remunerados com parte do lucro dos criadores de conteúdo. 

DIVI•hub oferece modelos simples de investimento baseados em paixões de audiência

A novidade tem potencial para revolucionar e democratizar a forma de investir no Brasil, oferecendo um modelo simples e acessível, a partir de ativos baseados nas paixões da audiência.

O dinheiro captado serve como aporte para projetos ganharem vida e a possibilidade de os fãs virarem sócios de seus ídolos gera um engajamento muito mais potente.

Leia mais:

A empresa espera romper duas barreiras para a democratização do investimento no Brasil: o valor de entrada e a afinidade dos potenciais investidores com os negócios. Com apenas R$10, milhares de jovens sem familiaridade com o mundo das finanças poderão investir em seus ídolos e compartilhar a receita de projetos com eles. 

O fã adquire parte de um ativo digital, o DIVI, e passa a ser remunerado de acordo com os resultados gerados pelo canal, game ou projeto.

De acordo com o portal do grupo SEGS, os DIVIs são tokens que funcionam como partes da propriedade legal dos criadores e carregam uma tecnologia inédita para essa finalidade no mercado, o Quantum Ledger, desenvolvido pela Amazon Web Services, nos EUA. 

Cada token é completamente rastreável e cada transação tem um código matemático único que permite transparência e segurança total.

Aplicativo é regulado pelo Ministério da Economia

DIVI•hub é regulada e aprovada pela Comissão de Valores Mobiliários, autarquia vinculada ao Ministério da Economia,  sob a instrução 588. 

Em breve, deverá ser lançada também uma plataforma de comunicação privada para a negociação de DIVIs diretamente entre as pessoas, por meio da qual quem comprar poderá revender para outros fãs ou investidores, como um mercado de ações da economia criativa.

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!