Nesta quinta-feira (15), o aplicativo Tinder se juntou à ONGs brasileiras para trazer ao país uma novidade que promete mais bem-estar aos seus usuários. A Central de Segurança, nova ferramenta de apoio da plataforma, disponibiliza dicas de proteção para encontros de maneira integrada. Brasil é o primeiro da América Latina a receber o recurso, que já está disponível em locais como Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido e Japão.

O Tinder, criado em 2012, é atualmente o aplicativo de relacionamento mais popular do mundo. Ele está à disposição em cerca 190 localidades, em mais de 40 idiomas diferentes. Contudo, algumas pessoas ainda se sentem inseguras ao utilizar os serviços da plataforma. Especialmente no Brasil, país que mais mata mulheres trans e onde a violência contra a mulher cresce exponencialmente.

publicidade

Na tentativa de trazer maior conforto e segurança aos seus usuários, especialmente aqueles que pertencem a grupos minoritários, o Tinder tem trabalhado em estreita colaboração com o Match Group Advisory Council (MGAC), grupo especializado na prevenção de agressão sexual, tráfico sexual, abuso, assédio e questões semelhantes.

Agora, o aplicativo de relacionamentos recorreu à organizações locais, como a Fonatrans (Fórum Nacional de Travestis e Transexuais Negras e Negros), ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos), Associação da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, Mapa do Acolhimento e outras para desenvolver alternativas mais seguras aos matches brasileiros.

De acordo com a equipe do Tinder, o lançamento da Central de Segurança no Brasil é um compromisso do aplicativo de encontros em fornecer um ambiente mais acolhedor para aqueles que utilizam seus serviços. Com isso, a plataforma acredita que as pessoas poderão se sentir livres para serem quem são.

“Todos os dias, milhões de membros do Tinder confiam em nós para apresentá-los a novas pessoas. Dedicamos a construir recursos inovadores de segurança que atendam às necessidades das comunidades de ‘date’ online de hoje. Para nós, representa um passo importante para impulsionar nosso trabalho de segurança em uma escala incomparável no mercado”, disse Rory Kozoll, chefe de Produtos de Segurança do aplicativo.

Construída em parceria com entidades especializadas, a Central de Segurança do Tinder chega ao Brasil para proteger a experiência dos usuários. Créditos: Shutterstock

O objetivo central da nova ferramenta é fornecer meios de suporte às pessoas, mas principalmente tornar o Tinder um local de encontro mais confiável. Seja conectando os usuários a especialistas em situação de necessidade, à serviços de denúncia ou oferecendo orientações educacionais para encontrar o match de forma segura.

Os tópicos disponíveis incluem uma lista de atendimento emergencial em cada localidade para aqueles que precisarem de suporte à saúde mental, violência por conta de preconceito e/ou segurança de dados.

Conforme a plataforma, essas informações de segurança já estavam disponíveis anteriormente, mas apenas dentro das configurações do aplicativo. Com o lançamento da Central de Segurança, as dicas ganham fácil acesso no menu principal e sempre que os membros trocarem mensagens com matches.

Para ver como a Central de Segurança do Tinder funciona, assista ao vídeo em parceria com especialistas que apoiaram o lançamento do recurso:

Leia também!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!