Uma pesquisa do Instituto La Jolla de Imunologia, nos Estados Unidos, apontou a existência de um novo tratamento que pode fortificar as células T que combatem o câncer.

O estudo publicado na Nature Immunology toma como base um fenômeno já conhecido por pacientes de câncer, a exaustão das células T. As células em questão agem no combate aos tumores e após certo período não conseguem mais cumprir sua missão pelo cansaço.

publicidade
Novo estudo aponta maneira de fortificar o tratamento ao câncer. Imagem: Shutterstock

 De acordo com o autor da pesquisa, Patrick Hogan, o intuito é criar uma espécie de armadura contra o “programa de exaustão”. “As células podem entrar no tumor para fazer seu trabalho e, então, permanecer como células de memória”, explicou.

Os pesquisadores relataram que a exaustão das células T afetam diversos tipos de tratamento contra o câncer, tanto aqueles que ativam a população de células no sangue, quanto aquela terapia conhecia como CAR T que retira as células de um paciente e altera seus genes.

Um dos autores do estudo relatou que o método descoberto é capaz de aumentar não só a capacidade das células em combater a exaustão, como também na luta contra o câncer, inclusive aqueles conhecidos como “imunologicamente frios”, ou seja, que não desenvolvem uma forte resposta do sistema imunológico.

Leia também!

Durante os estudos, os cientistas descobriram dois fatores de transcrição das células, um denominado BATF e outro IRF4, que são essenciais no combate a exaustão das células T. Apesar de trabalharem juntos, os pesquisadores apontaram que o fator BATF precisa ser superexpressado cerca de 20 vezes mais do que o IRF4.

O tratamento também fez com algumas células T se transformassem em células de memória, o que é muito importante já que durante o combate ao câncer muitas células T não conseguem formar respostas de memória aos tumores recorrentes.

 Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!