Juliette Freire comentou sobre a morte de Lucas Santos, de 16 anos, filho da cantora Walkirya, encontrado morto, segundo a mãe, após sofrer ódio nas redes sociais. “Hoje (terça-feira) o filho da @walkyriasantos_ suicidou-se por não suportar comentários maldosos na internet. Vocês imaginam a dor de perder um filho pela irresponsabilidade/maldade de alguém? Isso é desumano!”, disse a ex-BBB no Twitter.

“Não é machucando alguém que as suas dores vão diminuir, não é humilhando alguém que você vai ser maior, não é ganhando uma briga que você terá paz. PAREM!!! Com quem quer que seja… por favor parem!”, completou ainda.

publicidade

Juliette sobre filho de Walkirya

Juliette mencionou os comentários de Walkirya após a morte do filho. “Hoje, eu perdi meu filho, uma dor que só quem sente vai entender. Ele postou um vídeo no TikTok, uma brincadeira de adolescente com os amigos, e achou que as pessoas iriam achar engraçado, mas as pessoas não acharam, como sempre, as pessoas destilando ódio na internet”, disse a cantora.

“Como sempre, as pessoas deixando comentários maldosos. Meu filho acabou tirando a vida. Eu estou desolada, eu estou acabada, eu estou sem chão”, disse a cantora nas redes sociais”, completou ainda.

Walkirya ainda disse que chegou a levar o filho no psicólogo após ele sofrer com as redes sociais e que tentou ajudar ele. “Eu fiz o que pude. Ele já tinha mostrado sinais, eu já tinha levado a psicólogo, já tinha conversado várias vezes com ele, mas foi só isso, foram só os comentários na internet, que fez com que ele chegasse a esse ponto”, completou.

Lucas era o filho do meio da cantora, que também é mãe de Bruno, de 20 anos e Maria Flor, de 10. O sepultamento acontecerá no cemitério Vila Flor, em Macaíba, Região Metropolitana de Natal, às 10 horas desta quarta-feira (4).

Em nota enviada ao Olhar Digital, o TikTok disse: “Temos como nossa principal prioridade dar apoio ao bem-estar da nossa comunidade e fomentar um ambiente acolhedor e inclusivo, onde todos se sintam seguros para se expressar de forma autêntica”.

O texto ainda afirma que o discurso de ódio vai contra as políticas da plataforma e que quando comentários do tipo são identificados, eles são removidos. “Também trabalhamos com especialistas, como o CVV, para dar apoio e oferecer recursos para qualquer pessoa que possa estar passando por um momento difícil”, completa ainda.

Leia mais:

Ajuda contra pensamentos suicidas

Procure ajuda no Centro de Valorização da Vida (https://www.cvv.org.br/) e nos CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) caso você esteja pensando em cometer suicídio.

Os mais de 120 postos de atendimento em todo o Brasil do Centro de Valorização da Vida funcionam 24 horas por dia, inclusive aos feriados, pelo telefone 188. O atendimento também funciona pessoalmente, por e-mail ou via chat.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!