O gigante chinês, Alibaba Group Holding Ltd, ficou abaixo das estimativas dos analistas de mercado para a receita do primeiro trimestre fiscal. Os principais motivos, segundo a companhia, são: o aumento da concorrência de empresas menores e a repressão regulatória no país.

O resultado abaixo da média, segundo a Reuters, reflete o da rival Amazon nos Estados Unidos, visto que a redução das restrições relacionadas à pandemia fez com que parte dos consumidores voltassem as lojas físicas em vez de continuarem fazendo suas compras pela internet.

publicidade

Ainda assim, a receita de comércio do Alibaba cresceu 35% no período (180,24 bilhões de yuans no trimestre). Em comparação, as estimativas iniciais eram de 184,23 bilhões.

e-commerce do alibaba em notebook e no celular
E-commerce do Alibaba é um dos mais populares do mundo. Imagem: Nopparat Khokthong/Shutterstock

A receita geral também cresceu 34% no primeiro trimestre, o que se traduz em 205,74 bilhões de yuans (US$ 31,83 bilhões em conversão direta). Ligeiramente abaixo do valor projetado pelos analistas, que era de 209,39 bilhões de yuans.

Leia mais:

Já o Ant Group, fintech (termo usado para se referir às startups que desenvolvem produtos financeiros digitais) afiliada ao Grupo Alibaba, registrou lucro de 13,48 bilhões de yuans no primeiro trimestre fiscal de 2021.

A divisão de e-commerce Alibaba, por sua vez, registrou lucro de 4,49 bilhões de yuans neste trimestre encerrado em junho. Enquanto a receita da divisão de computação em nuvem da empresa cresceu 29% desde 2020, atingindo a quantia de 16,05 bilhões de yuans (US$ 2,49 bilhões).

Os resultados vêm em meio a repressão enfrentada pela indústria chinesa, em que o Alibaba acabou se tornando um dos alvos. Em abril, o órgão antimonopólio da China emitiu uma multa bilionária para a empresa: US$ 2,75 bilhões por envolvimento em práticas anticompetitivas.

Durante uma teleconferência com investidores, o CEO do Grupo Alibaba, Daniel Zhang, disse que continuará monitorando os impactos das mudanças regulatórias da China nos negócios da empresa: “Estamos estudando os requisitos regulatórios, avaliando os impactos potenciais em nossos negócios e responderemos positivamente com ações”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!