Na manhã desta quinta-feira (5), o Instituto Burantan recebeu mais 4 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA) para a produção da vacina contra o coronavírus CoronaVac. A matéria-prima enviada pelo laboratório chinês Sinovac é suficiente para fabricar cerca de 8 milhões de doses do imunizante, que devem ser entregues ao Programa Nacional de Imunizações, do governo federal, para impulsionar a vacinação em todo o país.

Segundo a Agência Brasil, o Instituto Butantan e o Ministério da Saúde firmaram um contrato para um total de 100 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 CoronaVac. O centro de pesquisa biológica, localizado no bairro Butantã, em São Paulo, já entregou ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) um montante de 64,8 milhões de imunizantes.

publicidade

A negociação entre o Butantan e o governo federal se deu de forma relativamente conturbada, já que no ano passado o próprio presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que não compraria as doses da “vacina chinesa”. O Ministério da Saúde, contudo, voltou atrás e concretizou a negociação em fevereiro.

CoronaVac
Butantan espera que o Insumo recebido da China amplie, nos próximos dias, a entrega das doses de CoronaVac contratadas pelo Ministério da Saúde. O abastecimento faz parte de um acordo de 100 milhões de doses da vacina para alavancar o Plano Nacional de Imunizações.
Créditos: Shutterstock

Com os 4 mil litros de matéria-prima recebida nesta quinta (5), bem como outra carga de 2 mil litros que chegou no último domingo (1º), o Butantan espera entregar, muito em breve, 12 milhões de doses ao Ministério. As vacinas deverão acelerar o processo de vacinação em todo o país.

Além disso, há uma expectativa de que no próximo domingo (8), o laboratório Sinovac envie mais 2 milhões de doses da vacina já prontas para serem distribuídas.

Leia mais!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!