O estresse crônico é uma causa conhecida de transtornos mentais. Novas pesquisas deram um passo à frente na compreensão de como os hormônios do estresse agem sobre o cérebro e qual é sua função. Os resultados podem levar a estratégias mais eficazes na prevenção e tratamento de transtornos de saúde mental.

O estudo foi liderado por acadêmicos da Universidade de Bristol. O objetivo da pesquisa era saber com quais genes MR e GR interagem o genoma do hipocampo. A equipe também queria descobrir se alguma interação resultaria em mudanças na expressão e nas propriedades funcionais desses genes.

publicidade

Os pesquisadores descobriram uma ligação entre o MR e a função dos cílios. Os cílios são pequenas estruturas semelhantes a cabelos que se projetam dos corpos celulares. A função eficaz dos cílios é desenvolver o cérebro e a plasticidade cerebral. A descoberta do novo papel do RM em relação ao desenvolvimento neuronal aumentou o conhecimento do papel dessas estruturas celulares no cérebro e pode ajudar a resolver distúrbios.

Leia mais:

Além disso, a equipe descobriu que MR e GR interagem com muitos genes que estão envolvidos em processos de neuroplasticidade, como comunicação entre neurônios e processos de aprendizagem e memória. Alguns desses genes, no entanto, têm sido associados ao desenvolvimento de transtornos de saúde mental, como depressão maior, ansiedade, bem como transtornos do espectro da esquizofrenia. 

A disfunção do hormônio glicocorticoide, conforme observada no estresse crônico, poderia ter um efeito prejudicial à saúde mental por meio de sua ação sobre esses genes de vulnerabilidade, fornecendo um novo mecanismo potencial para explicar o envolvimento na etiologia dos transtornos.

“Esperamos que nossas descobertas desencadeiem novas pesquisas direcionadas sobre o papel que esses hormônios desempenham na etiologia de transtornos mentais graves, como depressão e ansiedade”, disse Hans Reul, professor de Neurociência na Escola Médica de Bristol.

Os próximos passos para a pesquisa incluem estudar como a ação do hormônio muda em condições de estresse crônico. Isso porque muito pouco se sabe sobre essa área de pesquisa em mulheres, pois a maioria dos estudos sobre estresse e hormônios foi realizada em homens.

Fonte: Medical Xpress

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!