As mudanças climáticas trarão uma série de consequências, sendo que uma delas é a seca em alguns locais. Mas para a cidade de Corcoran, na Califórnia, as coisas podem ser ainda mais graves. O Município tem na agricultura sua principal fonte de receitas e já há alguns anos tem usado água retirada do subsolo para irrigar plantações, e isso está fazendo a cidade afundar.

O afundamento de Corcoran, que ostenta o título de “capital agrícola da Califórnia”, não era algo esperado pelos agricultores da região e acontece em um ritmo bastante acelerado. Ao longo dos anos, a cidade já afundou o equivalente a uma casa de dois andares, segundo dados do Departamento de Recursos Hídricos da Califórnia.

publicidade

O problema em si já era grave, mas com a Califórnia sofrendo bastante com secas prolongadas nos últimos anos, o processo tem se intensificado. Com menos chuvas, é necessário que os agricultores bombeiem mais água do subsolo para irrigar suas plantações. Quanto mais água é retirada do subsolo, mais rápido a cidade afunda.

Círculo vicioso

Vista aérea da cidade de Corcoran
Corcoran já afundou o equivalente a uma casa de dois andares ao longo dos anos. Crédito: Camille Camdessus/AFP

Para tentar reduzir os efeitos desse círculo vicioso, o governo local tem imposto restrições aos agricultores da área em relação ao uso de água retirada do subsolo. Mas existe um problema aí: quem utiliza quantidades relevantes de água, que provocam a aceleração do afundamento da cidade, não são os pequenos agricultores, mas grandes empresas agrícolas.

publicidade

Para essas empresas, é fácil não respeitar as restrições governamentais, já que elas são as maiores empregadoras da região e poucos cidadãos denunciam os abusos praticados por elas. Segundo Raul Atilano, um morador local que foi ouvido pela agência de notícias France Presse, as pessoas têm medo de perderem seus empregos se falarem contra as empresas.

Não é um caso isolado

Histórias de afundamentos causados por retirada de recursos do subsolo não são tão incomuns e existem até mesmo aqui no Brasil. Na cidade de Maceió, capital de Alagoas, a extração de sal-gema do subsolo causou o afundamento de alguns bairros, o que fez com que essas áreas precisassem ser evacuadas. O sal-gema é usado na produção de plásticos.

publicidade

Leia mais:

Até o momento, estima-se que mais de 50 mil residências, que incluem casas e prédios residenciais e comerciais de três bairros bastante populosos da capital alagoana (Pinheiro, Mutange e Bebedouro) tenham sido atingidas, um número que ainda pode crescer, já que a extração de sal-gema pela empresa petroquímica Braskem ainda não foi paralisada. 

publicidade

Com informações da Futurism

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!