O CEO da Disney, Bob Chapek, se pronunciou pela primeira vez após a estrela do filme Viúva Negra, a atriz Scarlett Johansson, processar a empresa pelo lançamento do longa na versão exclusiva do serviço de streaming Disney+.

O processo da intérprete de Natasha Romanoff tem como base que a Disney não atualizou seu pagamento, que é atrelado ao sucesso do lançamento do filme exclusivamente no cinema e não na plataforma de streaming.

publicidade
Marvel Studios/Divulgação
Viúva Negra: CEO da Disney se pronuncia sobre o processo de Scarlett Johansson. Imagem: Marvel Studios/Divulgação

Chapek fez questão de alegar que a Disney alterou todos os planos de lançamento de filmes para que os acordos daqueles atores que possuem bônus atrelados ao desempenho em bilheteria fossem remanejados.

“E apenas para reiterar, as decisões de distribuição são tomadas filme por filme, com base nas condições do mercado global e no comportamento do consumidor. Continuaremos a utilizar todas as opções disponíveis daqui para frente, aprender com as percepções obtidas com cada lançamento e inovar adequadamente, enquanto sempre fazemos o que acreditamos ser o melhor para o filme e para os nossos constituintes”, concluiu.

O CEO da Disney afirmou que a empresa descobriu uma maneira justa de compensar os talentos contratados, não importa qual o modelo de negócio tenha sido adotado, sempre focando em todos se sentirem satisfeitos.

Leia também!

Durante todo pronunciamento, Bob Chapek não citou o nome de Scarlett Johansson e nem o filme Viúva Negra, mas as respostas do executivo iam ao encontro ao que foi afirmado oficialmente pela empresa na resposta ao processo.

A Disney afirma que a ação movida por Scarlett Johansson não tem mérito, que cumpriu todo o contrato da atriz e que o lançamento feito no Disney+ aumentou significativamente a compensação adicional em cima dos US$ 20 milhões pagos até o momento.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!