Os esportes com público sempre foram apontados como eventos com alto risco de transmissão de Covid-19, por isso desde o começo da pandemia o público ficou longe dos estádios. Mas nos últimos meses houve um retorno gradual em alguns países, incluindo os Estados Unidos, onde partidas de futebol americano voltaram a contar com a presença de plateia, mesmo que limitada. Agora, segundo uma pesquisa, não há indícios de contaminação por Covid-19 nesses ambientes.

A análise foi feita por cientistas do Massachusetts General Hospital (MGH), da Harvard Medical School, da Georgia Tech e do Boston Medical Center. Os jogos analisados ocorreram pela principal liga de futebol americano dos EUA, a NFL e também pela primeira divisão universitária, a NCAA.

publicidade

“Houve muita especulação na mídia e nas plataformas sociais sobre se o comparecimento pessoal aos jogos de futebol da temporada regular da NFL e NCAA resultou na disseminação local de Covid-19. Achamos que era importante avaliar se esses jogos com público causaram um aumento de casos”, explicou o primeiro autor do estudo, Asmae Toumi, pesquisador do Instituto de Avaliação Tecnológica MGH.

Covid-19 no futebol americano

“Antes de realizar o estudo, nossa conjectura era que os jogos de futebol causariam uma explosão no número de casos; no entanto, verifica-se que não é o caso e os jogos não levaram a um grande aumento no número de casos”, diz o autor sênior Turgay Ayer, professor associado da Georgia Tech.

Leia mais:

A pesquisa analisou os condados dos EUA que tiveram público nas partidas de futebol e comparou com os condados que não tiveram público. A ideia era observar se havia uma tendência de aumento de casos nos locais com plateia. Os locais também possuem uma população parecida e a mesma quantidade de jogos semanais.

A análise incluiu 796 jogos da NFL e da NCAA, com 528 jogos com público. A conclusão é que o estudo não encontrou indícios que os jogos de futebol contribuíram para um aumento de casos de Covid-19. “Este estudo não encontrou um aumento consistente nos casos diários de Covid-19 por 100.000 residentes nos condados onde os jogos da NFL e da NCAA eram realizados com atendimento presencial limitado”, diz um trecho da pesquisa.

“As conclusões do nosso estudo podem informar as políticas de atendimento dos torcedores para a temporada de futebol de 2021. O atendimento presencial pode ser seguro, desde que o distanciamento social seja mantido. Embora tenhamos vacinas COVID-19 em 2021, precisamos nos lembrar de que nem todos estão vacinados e as vacinas não são 100% eficazes. Com variantes preocupantes como o delta, grandes aglomerações ainda podem resultar na transmissão de Covid-19 se as pessoas não usarem máscaras”, diz o co-autor Jagpreet Chhatwal, diretor associado do MGH e professor assistente da Harvard Medical School.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!