Após controlar a pandemia da Covid-19 com um rápido avanço da vacinação, os EUA estão tendo problemas com a variante Delta, mais contagiosa que a versão padrão. Nesta quinta-feira (5), o país atingiu a médica de 100 mil casos diários da doença, primeira vez que o índice é registrado desde fevereiro. A imunização segue estagnada, mas não por falta de vacinas, e sim pela recusa de parte da população em se vacinar.

Os novos diagnósticos aumentaram 100% em duas semanas. No dia 23 de julho, a médica estava em cerca de 50 mil e agora, dobrou. As mortes também crescem, mas em ritmo menor. A média atual é de 439 óbitos diários, 79% a mais do que há duas semanas. Efeito direto da vacinação.

publicidade

Covid-19 nos EUA

O presidente Joe Biden voltou a falar de uma pandemia de “não vacinados” e citou que os casos vão aumentar antes de cair. Essa crescente, coloca em risco a reabertura do país, que estava com aulas presenciais e sem a obrigatoriedade do uso de máscaras em muitos estados. As medidas agora podem ser revistas.

Leia mais:

O efeito da vacinação é visível quando levado em conta que os estado da Flórida, Texas, Missouri, Arkansas, Louisiana, Alabama e Mississippi são responsáveis por metade das novas infecções por Covid-19 nos EUA. Esse estados também são os que possuem os menores índices de vacinação. Também estão nessas localidades boa parte do eleitorado republicado, mostrando a forte polarização política do país.

De acordo com o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC), atualmente cerca de metade da população está totalmente vacinada. A procura pela vacina que estava parada aumentou um pouco nas últimas semanas. Os EUA são o país mais afetado pela Covid-19 em todo o mundo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!