O uso de máscaras e o distanciamento para previnir a Covid-19 também acaba ajudando a evitar outras doenças, como o sarampo, que registrou uma queda drástica de casos em São Paulo após o equipamento de proteção se tornar obrigatório em ruas, parques e estabelecimentos do estado.

Desde o ano passado, os casos da doença caíram 99,5%. Segundo o governo estadual, em 2021, até o dia 10 de agosto, foram registrados apenas cinco casos em todo o estado, sendo eles em São Bernardo do Campo, São Paulo, Americana, Campinas e Altinópolis.

publicidade

Para efeito de comparação, no mesmo período de 2020, o estado teve 772 casos e 1 óbito pela doença. Durante todo o ano foram 883 casos, em todas as regiões do estado. Desse total, 354 casos foram em crianças menores de 9 anos (40%), e o único óbito registrado foi também nesta faixa etária.

Sarampo com queda de casos

O uso de máscara e o distanciamento ajuda a prevenir o sarampo pois, assim como a Covid-19, a doença é readmitida por um vírus e contamina através de gotículas de saliva que ficam no ar. Cada infectado pode transmitir para até 18 pessoas.

Leia mais!

“Deste modo, o uso de máscaras de proteção facial, obrigatórias em todo o estado, o isolamento social e o incentivo à higienização das mãos e ambientes contribuiu para a redução também do sarampo”, explicou a médica de Divisão de Imunização, Helena Sato à Agência Brasil.

“Assim como ocorre com outras doenças, somente a conclusão do esquema vacinal é capaz de garantir a devida proteção contra o sarampo. Por este motivo, pais ou responsáveis devem continuar levando as crianças aos postos de vacinação para proteção contra as doenças prevenidas pelas vacinas, e aqueles que não tomaram todas as doses necessárias na faixa etária adequada, também precisam se vacinar”, completou ainda.

O sarampo é incluso na vacina tríplice viral, que ainda protege contra a caxumba e a rubéola.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!