O ID.3 da Volkswagen, baseado na plataforma MEB (plataforma modular exclusiva para carros elétricos da montadora), estreou no Salão do Automóvel de Chengdu, na China. O veículo é líder de vendas na Europa e chega como o terceiro modelo totalmente elétrico da marca no país, para acompanhar o ID.4 e o ID.6.

Mais modesto que seus irmãos, o ID.3 agora é o carro elétrico de entrada da Volkswagen na China, que é o maior mercado de EVs do planeta. Ou seja, o lançamento significa um claro impulso da empresa em direção à eletrificação.

publicidade

Seguindo os padrões europeus, o ID.3 chinês deve trazer tração traseira, com o motor alocado na parte de trás do carro. Uma versão com tração nas quatro rodas e motor duplo poderá aparecer posteriormente.

Leia mais:

Os clientes chineses poderão reservar o ID.3 por meio de um sistema de pré-reserva em breve. Os valores não foram divulgados oficialmente, nem quais modelos precisamente estarão disponíveis. Porém, algo abaixo de 150 mil Yuans é especulado (R$ 120 mil em nossa moeda, aproximadamente, desconsiderando diferenças de impostos ou taxas).

Enquanto o ID.4 e o ID.6 são produzidos e vendidos na China separadamente por duas joint ventures, FAW-Volkswagen e SAIC Volkswagen, o ID.3 está sendo lançado apenas pela SAIC Volkswagen. A FAW-Volkswagen oferece o ID.4 Crozz e o ID.6 Crozz, enquanto que a SAIC Volkswagen oferece o ID.4 X, o ID.6 X e, agora, o ID.3, sem o sufixo X, ao que tudo indica.

Metas elétricas

A Volkswagen continua sua ofensiva no forte mercado chinês de EVs. As vendas do ID.4 (junto com o ID.6) aumentaram gradualmente, após um início lento este ano. De 1.500 vendas em maio, foram para cerca de 3 mil em junho e 5.800 em julho. A meta da empresa para 2021 no país é alcançar de 80 mil a 100 mil carros elétricos da família ID sendo comercializados. Nesse sentido, há um objetivo de venda mensal de 10 mil a 15 mil unidades até o fim do ano.

O CEO da Volkswagen, Ralf Brandstätter, aponta que o ID.3 surge como a terceira série de modelos totalmente elétricos na China em apenas seis meses. Desta forma, a empresa reforça sua ambição de ocupar uma posição de liderança no mercado de veículos elétricos na China e também na Europa.

Em 2030, a Volkswagen pretende aumentar a participação de suas entregas de veículos totalmente elétricos na Europa para mais de 70 por cento. Na América do Norte e na China, a marca tem como meta uma participação de EVs de mais de 50 por cento.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.