A pandemia da Covid-19 manteve a população em casa durante um longo período, o que contribuiu para o sedentarismo e o aumento da obesidade. Um estudo publicado na última semana no Journal of the America Medical Association (JAMA) mostrou que as taxas de obesidade infantil aumentaram após o surgimento do coronavírus nos Estados Unidos.

“Os jovens ganharam mais peso durante a pandemia de covid-19 do que antes da mesma”, diz a pesquisa que avaliou o Índice de Massa Corporal (IMC) das crianças. O IMC aumentou em média 1,57 e a porcentagem de obesidade infantil foi de 36,2% para 45,7%.

publicidade

Obesidade e a Covid-19

O público analisado na pesquisa possui idade entre 5 e 17 anos e precisou ter passado por um teste de IMC antes do período de isolamento e outro depois, cerca de três meses após o início da quarentena. Além disso, pessoas com doenças crônicas, que facilitam a obesidade, foram excluídas da pesquisa sobre a Covid-19.

Leia mais:

Explicando os resultados, crianças com idade entre 5 e 11 anos tiveram os piores dados, com o peso aumentando em média 2,3 quilos. Por conta disso, a obesidade aumentou entre as crianças de 5 a 11 anos de 36,2% para 45,7% durante a pandemia. O aumento absoluto foi 8,7% e o aumento relativo de 23,8% em comparação com o período antes do isolamento.

“A investigação deve monitorizar se o ganho de peso observado persiste e quais são as consequências que podem surgir a longo prazo para a saúde. Podem ser necessários esforços de intervenção para lidar com o ganho de peso relacionado com a covid-19”, finaliza o estudo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!