Uma rocha com 14,5 kg e 25 cm de comprimento é o maior meteorito proveniente de Marte já encontrado na Terra. E, agora, curiosos e apaixonados pelos mistérios do espaço podem conferi-lo bem de perto. O Museu de Minerais e Gemas do Maine, que fica na região de Bethel, Connecticut, nos EUA, está exibindo a peça desde quarta-feira (1) aos visitantes.

O museu também abriga aproximadamente outras 6 mil rochas extraterrestres, incluindo o maior pedaço de rocha lunar disponível na Terra e a  mais antiga rocha ígnea formada por atividade vulcânica no sistema solar.

publicidade
Maior meteorito marciano já encontrado na Terra está em exibição no Museu de Minerais e Gemas do Maine. Imagem: Maine Mineral and Gem Museum

Como os meteoritos de Marte vêm parar na Terra

Segundo o site Live Science, o diretor do Instituto de Meteorologia da Universidade do Novo México, Carl Agee, revelou que o pedaço de rocha atingiu a Terra depois que um grande asteroide ou cometa o destruiu da superfície marciana.

Chamada Taoudenni 002, a rocha marciana “é, de longe, o maior meteorito marciano completo sem cortes na Terra”, disse Agee, que esteve envolvido na confirmação de que a rocha realmente se originou do Planeta Vermelho.

De acordo com Agee, existem cerca de 300 pedaços de rocha marciana na Terra, totalizando cerca de 227 kg. No entanto, os coletores costumam separá-los para vendê-los separadamente, então o número real de meteoritos marcianos conhecidos na Terra pode estar entre 100 e 150. 

Após impactos poderosos ejetarem as rochas de Marte, elas vagam pelo espaço e, eventualmente, terminam em uma órbita pela qual a Terra passa enquanto circunda o Sol.

Leia mais:

Taoudenni 002 pode ter caído há cerca de 100 anos

Um caçador de meteoros local descobriu o Taoudenni 002 perto de uma mina de sal do deserto em Mali. Então, Darryl Pitt, que é comerciante mundial de meteoritos, o adquiriu para o Museu de Minerais e Gemas do Maine, em abril deste ano. 

“A queda do meteorito não foi testemunhada, mas, provavelmente, foi recente”, disse Agee. “Nos últimos 100 anos, talvez, devido ao seu estado de conservação”.

Depois de adquirir o meteorito no Mali, Pitt enviou uma pequena amostra da rocha para Agee para confirmar sua origem.

“Os meteoritos marcianos têm assinaturas químicas específicas, e os minerais e elementos em Taoudenni 002 combinam perfeitamente com os minerais marcianos conhecidos”, afirmou Agee, dizendo que essa peça é um shergottite, que é o principal tipo de meteorito marciano.

Segundo o pesquisador, ele contém os minerais olivina, piroxênio e feldspato transformado por choque, que se formaram a partir do impacto de Marte que o ejetou.

A composição dos meteoritos também sugeriu a origem da rocha. “É mais provável que tenha se formado em um episódio vulcânico em Marte, há mais de 100 milhões de anos”, disse Agee, revelando que rochas marcianas ainda maiores podem estar escondidas na Terra, potencialmente “enterradas sob uma duna de areia no Saara, nas profundezas do gelo da Antártica ou talvez no fundo do oceano”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!