O vírus Nipah ressurgiu recentemente na Índia e causou a morte de um menino de 12 anos na província de Kerala. O patógeno não é novo, mas o caso colocou a comunidade médica internacional em alerta. A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que observa os casos da doença.

Ainda segundo o órgão, a mortalidade do vírus Niph pode ser de até 75%. No caso do menino indiano, os sintomas se agravaram rápido e após desenvolver uma febre forte o jovem teve encefalite (uma inflamação no cérebro) e morreu.

publicidade

Apesar da gravidade da doença, o vírus em si é pouco transmissível, o que dificulta o surgimento de surtos. Em entrevista à Agência Brasil, a infectologista Rita Medeiros, da Universidade Federal do Pará, explicou que, por enquanto, o parasita circula com mais facilidade entre morcegos frugívoros, ou seja, que se alimentam de frutas.

Entenda o vírus mortal Nipah

O período de incubação do vírus costuma variar entre 4 e 14 dias. Segundo o dr. Stephen Luby, da Universidade de Stanford, em um artigo, apesar de ser transmissível e poder contaminar um grande número de pessoas ocasionalmente, a taxa média de transmissão do vírus é “menor do que uma pessoa por infecção”.

Leia mais!

“Contudo, cada vez que uma pessoa é infectada, o vírus está em um ambiente que elege para adaptação humana e transmissibilidade. O risco é que uma nova cepa que se transmita com mais eficiência de pessoa para pessoa seja capaz de gerar um surto devastador”, completou.

O médico no entanto, ressalta que com uma taxa de mortalidade na faixa de 70% esse vírus precisa ser isolado e observado de perto já que se ele sofrer mutações pode causar grande perigo. O especialista destaca a necessidade de continuar “investindo em estratégias para reduzir o risco de propagação do vírus Nipah e no desenvolvimento de contramedidas contra um leque de patógenos de alto risco”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!