O Ministério da Saúde alterou nesta quinta-feira (16) a recomendação que pedia a vacinação de adolescentes contra a Covid-19. A pasta orientou que os estados vacinem jovens de 12 a 17 anos apenas que tenham comorbidades, deficiência permanente ou estejam apreendidos.

Ainda esse mês, o órgão havia liberado a vacinação de adolescentes sem comorbidades e orientou que a aplicação ocorresse a partir do dia 15, ou seja, ontem. Na ocasião, a única ressalva era de que os que não apresentassem comorbidades deveriam ser os últimos a ser vacinados.

publicidade

Vacinação de adolescentes

No entanto, essa portaria mudou e agora o Ministério da Saúde diz que os benefícios da vacinação de adolescentes ainda não estão claros pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e que o órgão não recomenda a imunização do grupo sem comorbidades. Apesar disso, a OMS disse apenas que não indica que esses adolescentes sejam prioritários.

“A maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela Covid-19 apresentam evolução benigna, apresentando-se assintomáticos ou oligossintomáticos”, justifica ainda a pasta após a decisão.

Após a nota, algumas capitais como Salvador, na Bahia, e Natal, no Rio Grande do Norte, suspenderam a vacinação de adolescentes. No Distrito Federal, o governo também seguiu a recomendação. Em São Paulo, que já começou a imunizar esse público, o governador João Doria disse que vai prosseguir com a aplicação.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!