Milhares de quilômetros quadrados de florestas da Califórnia, algo em torno de 3,8 mil hectares de área, já foram carbonizados durante a temporada de incêndios deste ano. O Parque Nacional das Sequoias, famoso por abrigar a General Sherman, maior árvore do mundo, foi atingido no último dia 9, fazendo com que as portas do local fossem fechadas para os visitantes e mobilizando mais de 500 oficiais para conter o fogo.

Felizmente, de acordo com autoridades do local, quatro sequoias gigantes não foram prejudicadas. Elas formam o grupo conhecido como “Quatro Guardas”, uma espécie de entrada natural na estrada para a floresta.

publicidade

Segundo o site Phys, o grupo foi protegido pela remoção da vegetação próxima e por meio do mesmo revestimento em papel alumínio ultrarresistente que envolveu a General Sherman.

Conhecida como a maior árvore do mundo, General Sherman recebeu revestimento especial contra o fogo. Imagem: NATIONAL PARK SERVICE/AFP via Ge

Extensão dos danos causados pelo incêndio florestal Fogo do Vento ainda é desconhecida

O grande incêndio florestal que atingiu o Parque Nacional das Sequoias é denominado Complexo KNP, e começou com duas queimadas provocadas por um raio que se fundiram e dilaceraram mais de 96 quilômetros quadrados na encosta oeste de Sierra Nevada.

Nada foi dito, ainda, sobre a extensão total dos danos em vários outros bosques de sequoia alcançados por um incêndio separado, o Fogo do Vento, na área do Monumento Nacional da Sequoia Gigante da Floresta Nacional da Sequoia e da Reserva Indígena do Rio Tule.

As chamas consomem uma árvore enquanto o fogo ventoso queima no bosque Trilha dos 100 Gigantes, no Parque Nacional das Sequoias, Califórnia, no domingo (19). Imagem: AP Photo / Noah Berger

O Fogo do Vento queimou os bosques de Peyrone e Red Hill, bem como uma parte do Bosque Long Meadow ao longo da Trilha dos 100 Gigantes.

“Já se sabe que uma parte de uma sequoia gigante ao longo da trilha foi queimada”, disse Thanh Nguyen, um porta-voz do Corpo de Bombeiros.

Oficiais com mangueiras e helicópteros lançadores de água trabalhavam para limitar os danos às sequoias gigantes nos bosques, onde também existem outros tipos de árvores.

Leia mais:

Fogo de baixa intensidade é benéfico à reprodução das sequoias

Curiosamente, as sequoias se adaptaram ao fogo e podem se beneficiar se as chamas forem de baixa intensidade, fazendo com que se reproduzam pela extensão da área onde se localizam.

Bombeiros tentam controlar o fogo no Parque Nacional das Sequoias. Imagem: AP Photo / Noah Berger

No entanto, não é o caso dos incêndios florestais atuais. O Fogo do Vento queimou mais de 100 quilômetros quadrados e apenas 4% dele foi contido.

Uma grande área do norte da Califórnia estava sob um alerta de bandeira vermelha para perigo extremo de incêndio na segunda-feira passada, devido aos ventos secos que podem aumentar o perigo de incêndio.

O alerta não se estendeu ao sul do estado, mas meteorologistas disseram que haveria ventos fracos em Santa Ana e um aquecimento significativo – elevando o risco de incêndios florestais.

Mudança climática está tornando os incêndios florestais mais difíceis de serem combatidos

Segundo cientistas, a seca histórica ligada à mudança climática está tornando os incêndios florestais mais difíceis de serem combatidos. Milhões de árvores já foram mortas apenas na Califórnia. 

Ainda de acordo com os estudiosos do clima, a mudança climática tornou o Ocidente muito mais quente e seco nos últimos 30 anos e continuará a tornar o clima mais extremo e os incêndios florestais mais frequentes e destrutivos.

Mais de 7 mil incêndios florestais na Califórnia este ano danificaram ou destruíram mais de 3 mil casas e outros edifícios e incendiaram quase 8 mil quilômetros quadrados de terra, de acordo com o Departamento de Silvicultura e Proteção contra Incêndios da Califórnia.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!