Estradas e empreendimentos modernos compartilham mais semelhanças com centros urbanos antigos do que podemos imaginar. E esse é o caso do extensa cidade de Teotihuacan, que já foi localizada a cerca de 40 quilômetros a nordeste da Cidade do México, entre 1,5 mil e 2,1 mil anos atrás.

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Riverside, usaram o instrumento de varredura LIDAR – sigla para light (luz) e radar – para identificar que os contornos da antiga cidade de Teotihuacan ainda se refletem nas estradas e estruturas erguidas atualmente no mesmo local do México.

publicidade
Vale de Teotihuacan, Patrimônio Mundial da UNESCO. Imagem: eskystudio – Shutterstock

Legado de civilizações antigas influencia na engenharia mexicana moderna

Publicado nesta terça-feira (21) no jornal científico One Plus, o estudo trouxe à luz algumas das mais incríveis engenharias realizadas pelo povo de Teotihuacan: redirecionar rios para coincidir com pontos de importância astronômica e mudar grandes quantidades de solo e rocha para moldar sua cidade.

“Vivemos com o legado de ações passadas”, diz a arqueóloga antropológica Nawa Sugiyama, autora principal da pesquisa. “Em uma cidade monumental como Teotihuacan, as consequências dessas ações ainda estão frescas na paisagem”.

Leia mais:

Teotihuacan foi uma das maiores cidades do mundo antigo, cobrindo cerca de 21 quilômetros quadrados. Era composta de muitas pirâmides, praças e outros edifícios comerciais e residenciais.

Algumas das estruturas de Teotihuacan ainda existem, mas muitas delas foram perdidas – e é aí que entra a tecnologia de mapeamento aéreo LIDAR, que usa luz laser refletida para medir estruturas e materiais subterrâneos.

Análise comparativa entre construções históricas e modernas do México utiliza combinação de dados

Segundo a Science Alert, para desenvolver o estudo, os pesquisadores usaram uma combinação de dados do LIDAR, com pesquisas de campo e informações mapeadas anteriormente para fazer comparações entre a antiga Teotihuacan e o atual Vale de Teotihuacan – agora um Patrimônio Mundial da UNESCO.

Vale do Teotihuacan: contornos da antiga cidade de Teotihuacan ainda se refletem nas estradas e estruturas erguidas atualmente no mesmo local. Imagem: Arian Zwegers / Flickr / CC-BY-2.0

Eles descobriram que 65% das áreas urbanas na região contêm propriedades ou características que se alinham ortogonalmente entre 3º a 15º graus a leste do norte astronômico – o mesmo alinhamento para o qual Teotihuacan foi cuidadosamente construída. 

Além disso, as cercas de pedra dos dias modernos foram construídas ao longo das mesmas linhas das paredes antigas, agora subterrâneas.

Os antigos Teotihuacans também investiram muito no redirecionamento de rios e na construção de canais: De acordo com a pesquisa, cerca de 16,9 quilômetros de hidrovias existentes atualmente têm suas origens na paisagem de Teotihuacan.

“As trajetórias ambientais, culturais e acadêmicas exclusivas do Vale de Teotihuacan apoiam uma definição multiescalar de humanos como agentes geomórficos”, diz o artigo publicado.

O estudo estima que em torno de 372 metros quadrados de solo artificial foram dispostos ao longo de 300 anos em toda a região. No total, revelou-se que 298 feições e 5.795 terraços feitos pelo homem não haviam sido registrados anteriormente, enquanto mais de 200 feições que existiram e foram apagadas por atividades de mineração também foram observadas.

Agora, a equipe deseja expandir seu mapeamento LIDAR para cobrir uma área mais ampla em três dimensões, em um período de tempo mais longo. “Não podemos lutar contra a urbanização moderna”, diz Sugiyama. “O mapa LIDAR fornece um instantâneo dessas características antigas que estão sendo abolidas a uma taxa alarmante que, de outra forma, passaria despercebida. É uma das muitas maneiras pelas quais podemos preservar nossa paisagem histórica”.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!