Desde o último domingo, o mundo tem acompanhado a chegada da “Lua da Colheita”, nome atribuído a uma fase específica do nosso satélite que serve como marcação de entrada da primavera, logo após o fim da estação de inverno (no hemisfério Sul; ou ao outono, no lado Norte).

Assim chamada por costumes antigos, onde fazendeiros de séculos atrás usavam a sua luz para continuar trabalhando nas suas colheitas ao longo da noite (por isso o nome em inglês, Harvest Moon, assim como uma certa franquia de jogos ou uma música de Neil Young), ela tipicamente ocorre ao longo de setembro, mas houve épocas em que ela vinha em outubro (que, aliás, tem uma outra lua de nome incomum para chamar de sua, a “Lua do Caçador”).

publicidade

Leia também

“Por várias noites, a Lua nasce logo após o pôr do Sol”, disse Fred Schaf, em artigo publicado no Farmer’s Almanac. “Isso resulta na abundância de luz brilhante mais cedo na noite, o que era uma ajuda tradicional a fazendeiros e empregados durante a colheita de produtos durante as temporadas mais quentes. Daí o nome ‘Lua de Colheita’”.

Em algumas regiões dos EUA, ela ainda recebe outros apelidos: “Lua do Milho” ou “Lua da Cevada” – este último, um dos ingredientes essenciais na produção da cerveja.

Outro fato interessante é o de que a Lua da Colheita é normalmente acompanhada por Vênus e Júpiter, outros dois objetos bastante evidentes no céu nessa época do ano: conforme ela se elevava, Vênus aparecia a 7º além do horizonte, no céu a sudoeste; ao passo em que Júpiter se exibia a 24º na direção sudeste do horizonte. Houve ainda uma aparição muito breve de Saturno, a 27º no horizonte pela direção sul-sudeste.

Desnecessário dizer, o tom multicolorido da Lua confere uma oportunidade bem proveitosa para fotógrafos – profissionais e amadores – fazerem seus registros e exibi-los por aí. Você já fez o seu? Mostre para nós nos comentários abaixo!

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!