Uma nova atualização de software promete acabar com um problema recorrente nos carros elétricos da Tesla: o fato de o piloto automático não reconhecer veículos com luzes de emergência — em especial os da polícia.

A atualização de software 2021.24.12 via over-the-air (por meio de dados móveis) está prevista para os modelos Tesla Model 3 e Model Y, cujos detalhes foram compartilhados pela conta @Analytic.eth no Twitter. Segundo o perfil, o piloto automático agora vai desacelerar toda vez que detectar um carro de polícia — ou qualquer outro veículo socorrista ou com luzes de emergência.

publicidade

As informações foram retiradas da nova edição do Manual do Proprietário do Model 3 e do Model Y, que ainda não foi enviada para todos os usuários. Diz o texto:

“Se o Model 3/Model Y detectar luzes de um veículo de emergência ao usar o Autosteer à noite em uma estrada de alta velocidade, a velocidade é automaticamente reduzida e o touchscreen exibirá uma mensagem informando sobre a desaceleração. Você também ouvirá um toque e verá um lembrete para manter as mãos no volante. Quando as detecções de luz passam ou deixam de aparecer, o piloto automático retoma sua velocidade de cruzeiro. Como opção, você pode tocar no acelerador para retomar sua velocidade.”

No fim da passagem, a Tesla também recomenda aos motoristas que “nunca dependam do piloto automático para determinar a presença de veículos de emergência”. Aí já reside, em simultâneo, o álibi para a montadora evitar novos problemas com o governo dos Estados Unidos.

NHTSA abre cerco à Tesla após problemas no piloto automático

tesla model 3 estacionando diante de montanhas e lago
Model 3 é um dos Tesla que apresenta problemas com piloto automático. (Imagem: canadianPhotographer56/Shutterstock)

No mês passado, a Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário (NHTSA), dos Estados Unidos, abriu investigação para apurar acidentes envolvendo o sistema de direção autônoma da Tesla. Ao todo, a NHTSA estima 23 acidentes decorrentes de problemas com o piloto automático da montadora. No cerne da investigação está a contínua falha da inteligência artificial em detectar luzes de emergência.

“A maioria dos incidentes ocorreu após o anoitecer e as cenas dos acidentes incluem medidas de controle de cenário como luzes de veículos socorristas, sinalizadores, um quadro de setas iluminadas e cones de estrada”, disse um comunicado da agência à imprensa. “Todos os veículos envolvidos estavam com o piloto automático acionado ou no controle de cruzeiro com reconhecimento de tráfego durante os acidentes.”

Seja por cinismo ou real consentimento, o próprio Elon Musk, CEO da Tesla, recentemente fez questão de espinafrar o piloto automático do seu negócio, afirmando que o sistema “não é tudo isso”.  

Até a tarde desta quinta-feira (23), a Tesla não anunciou oficialmente os ajustes no sistema do piloto automático.

Via InsideEVs e Autoweek

Imagem: Scott Rodgerson/Unsplash/CC

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!